PC das Filipinas rechaça a exigência de rendição vinda de Duterte

16/09/2017

O Partido Comunista das Filipinas (PCF) rechaçou a exigência do presidente Rodrigo Duterte para que o Novo Exército Popular (NEP) declare um novo cessar-fogo e para que as guerrilhas se rendam e comecem a trabalhar para seu governo como paramilitares.

 

Em uma declaração lançada no sábado, o bureau de informações do Partido disse que a demanda de Duterte de um cessar-fogo como pré-condição para a retomada das conversas de paz é inaceitável, levando em consideração que as Forças Armadas Filipinas estão conduzindo uma guerra total contra as forças revolucionárias e contra civis por todo o país.

 

“Isso é inaceitável. Duterte realmente toma as forças revolucionárias por tolas?’’, indagou o PCF.

 

Em seu discurso por ocasião do 17º aniversário da cidade de Digos, na sexta-feira, Duterte disse que não dialogará com a Frente Democrática Nacional Filipina (FDNP) até que os “vermelhos” declarem um cessar-fogo.

 

“Se vocês querem um resumo das conversas de paz, ou vocês declaram um cessar-fogo ou nada. E se vocês quiserem outra guerra, sintam-se em casa”, afirmou Duterte.

 

Duterte cancelou a quinta rodada das negociações formais de paz entre o governo e a FDNF, em Maio, após a Frente rejeitar sua exigência de outro cessar-fogo como “sinal de boa vontade e uma forma de criar um ambiente favorável” para as negociações.

 

A FDNP, entretanto, afirma que um cessar-fogo é inaceitável enquanto Duterte implementa uma “guerra tripla”, através da chamada “guerra às drogas”; de seu programa de contra insurgência, chamado Oplan Kapayapaan; e a declaração da Lei Marcial em Mindanao.

 

“Duterte perdeu toda a moral para fazer esse tipo de exigência. Lembrem-se que o NEP declarou um cessar-fogo em 19 de Agosto de 2016, que durou quase 160 dias, em resposta ao compromisso formal de Duterte em libertar cerca de 500 prisioneiros políticos e dar-lhes a anistia”, disse o PCF.

 

“Duterte, entretanto, desperdiçou a boa vontade do Frente Democrática Nacional Filipina quando falhou em cumprir seu compromisso e se aproveitou do cessar-fogo para reposicionar seus soldados e conduzir ofensivas militares.”, concluiu o Partido.

 

Nenhuma capitulação do Novo Exército Popular

O Partido Comunista das Filipinas afirmou que nenhuma conversa de paz será frutífera enquanto Duterte ficar exigindo a capitulação ou a rendição do Novo Exército Popular.

 

“Desistam. Eu farem de vocês soldados dessa República. Como uma unidade de cidadãos armados, por enquanto”, afirmou Duterte em seu discurso.

 

Duterte adicionou que não existem pré-condições para a rendição e prometeu fornecer armas de fogo e uma casa para todos que se entregarem para um prefeito ou para os militares.

 

“Ele quer converter soldados rendidos do Novo Exército Popular em soldados seus? Duterte realmente enlouqueceu”, afirmou Sison em uma entrevista ao Philippine Daily Inquirer.

 

Sison também disse, em outra ocasião, que Duterte provou-se um mentiroso e indigno de confiança.

 

“A linha que nos separa foi desenhada, devemos lutar para derrubar o regime de EUA-Duterte. Duterte terá que se esforçar para parecer convincente de novo”, afirmou Sison.

 

Mais Ofensivas do Exército Popular

O Partido Comunista das Filipinas afirma que é a vontade do povo que clama para que o Novo Exército Popular lance cada vez mais ofensivas táticas.

 

“As vitórias do Novo Exército Popular inspiram o povo a resistência em meio à matança e ao clima de terror imposto pelo regime de Duterte”, afirma a declaração do PCF.

 

“O NEP lança suas ofensivas táticas levando em consideração que o governo Duterte, seus soldados e policiais, são responsáveis por milhares de assassinatos em Oplan Tokhang; por sucessivas execuções de camponeses, de minorias nacionais e da juventude; pela ocupação militar de comunidades civis; por bombardeios aéreos; pela guerra de quase genocídio contra os Maranaos de Mawari; por prisões e detenções injustificadas e muito mais.”, complementa o PCF.

 

O PCF também rechaçou a ameaça de Duterte de mais 50 anos de guerra civil.

 

“Pelo visto, ele não durará até alcançar os seus termos. Ele instigou a ira do povo filipino, aumentando seu isolamento. O movimento revolucionário certamente perdurará por muito mais tempo que o regime USA-Duterte.”, afirmou o PCF.

 

“O povo filipino e suas forças revolucionárias sustentam há quase 50 anos sua guerra popular. Eles não se cansam. Eles estão dispostos, mais do que nunca, a levar a cabo sua revolução porque buscam enterrar o inaceitável sofrimento de operários e camponeses sob este sistema de exploração e opressão”, concluíram.

 

Raymund B. Villanueva

Please reload

Leia também...

Zhdanov: "Literatura Soviética: a mais rica em ideias, a literatura mais avançada"

09/04/2020

Telemarketing e a decadência burguesa

09/04/2020

Stalin: "Contra a vulgarização da consigna da autocrítica"

09/04/2020

"A Etiópia Socialista"

08/04/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube