"Força Armada Nacional Bolivariana repele ataque anti-governo"

06/08/2017

Um ataque anti-governo matinal em Fuerte Paramacay, Valência, no estado central venezuelano de Carabobo, foi repelido pela Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) e vários dos responsáveis ​​foram detidos, de acordo com o membro da Assembleia Nacional Constituinte e líder do Partido Socialista Unido de Venezuela, Diosdado Cabello.

 

“Após o ataque terrorista em Fuerte Paramacay, planos de defesa e tropas foram implantados para garantir a segurança interna”, disse Cabello, no Twitter.

 

Cabello assegurou às pessoas que havia “uma absoluta normalidade no resto das unidades militares do país”, enfatizando que qualquer pessoa que sonhou contrário a isto teria que lidar com a moral dos militares bolivarianos.

 

Em um comunicado emitido pelo FANB, foi explicado que houve um ataque na 41ª Brigada Blindada, que fora liderada por um grupo formado por “delinquentes civis em uniformes militares e um primeiro tenente que desistiu”, acrescentando que “a operação terrorista foi repelida e foram realizadas prisões, incluindo o primeiro tenente”.

 

O comunicado afirmou que “a operação terrorista incluiu a divulgação de um vídeo de um funcionário que, há mais de três anos, foi retirado das forças armadas, acusado de traição e rebelião, que depois fugiu do país e recebeu proteção em Miami, Estados Unidos.”

 

A FANB disse que os capturados “confessaram ter sido contraídos nos estados de Zulia, Lara e Yaracuy por ativistas venezuelanos de direita em conexão com governos estrangeiros”.

 

“O ataque terrorista de hoje não é nada além de um show de propaganda, um despertador, um movimento desesperado que faz parte dos planos de desestabilização e conspiração”, acrescentou o comunicado.

 

“A FANB permanece forte, unida em suas convicções democráticas com grande moral e apoia incondicionalmente o cidadão Nicolás Maduro Moros, presidente constitucional da República Bolivariana da Venezuela e nosso comandante-em-chefe, bem como sua iniciativa constituinte e a Revolução Bolivariana como projeto que busca consolidar a pátria, livre, soberana e independente”, concluiu a declaração, pedindo que todas as mulheres e os homens se unam para construir um país baseado na ‘justiça, cooperação e compreensão”.

 

O ministro da Defesa Vladimir Padrino López também publicou no twitter no início da manhã: “Eles não podiam lidar com a FANB, com sua moral nem com a consciência constitucional, então agora (eles) pretendem atacá-la com ataques terroristas. Eles não serão capazes de fazê-lo!!!”

 

Desde abril, a Venezuela viu forças da oposição organizar protestos violentos - levando a mais de 100 mortes e milhares de feridos - em suas tentativas de expulsar o presidente democraticamente eleito Nicolás Maduro.

 

Funcionários venezuelanos, incluindo Maduro, acusaram a direita de trabalhar em estreita colaboração com elementos internacionais como os Estados Unidos para desestabilizar o país para assim induzir uma interferência externa e uma intervenção militar.

 

Do TeleSUR

 

Traduzido por Igor Dias

Please reload

Leia também...

"Para você, amado camarada"

19/11/2019

"Necessidade contínua da Revolução Cultural"

18/11/2019

Mao: "À Memória de Norman Bethune"

15/11/2019

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube