21 armas confiscadas em ação punitiva do NEP contra a família Lademora

17/05/2017

Cerca de 21 armas de fogo foram confiscadas pela Frente 14 do Novo Exército Popular (NEP) na região nordeste de Mindanao quando invadiu, sem disparar um único tiro, a mina pertencente à família Lademora no Sitio Sinug-ang, Bayugan 3, Rosario, em Agusan Del Sur, às 7 horas da manhã do dia 13 de maio de 2017. As 21 armas de fogo incluíam 2 M16, 1 AK47, 1 BAR, 1 M14, 1 Garand, 4 Carabinas, 3 lançadores M79, 3 espingardas, 4 revólveres de calibre .45 e 1 revólver .38. O NEP também confiscou diversas munições e outros suprimentos militares.

O confisco de armas de fogo das forças armadas da família Lademora é uma ação punitiva do NEP pelo longo registro de abusos, crimes, destruição dos bens das pessoas e a exploração de mineiros, todos cometidos por tal família. Isso também serviu como justiça para as vítimas.

Através do controle contínuo das referidas forças armadas e das restantes forças do "Comando Perdido", a família Lademora monopolizou a exploração mineira em Sinug-ang, Bayugan 3 e privou outras pessoas de seus meios de subsistência. Os moradores temiam a existência do referido grupo armado controlado pelos Lademora.

O NEP também prendeu Abud Lademora, filho do ex-coronel Carlos Lademora, que atualmente controla o grupo armado com a finalidade de enfrentar as acusações apresentadas pelas vítimas.

O "Comando Perdido" é um grupo armado organizado pelo então Coronel das Forças Armadas das Filipinas (FAF), Lademora, no final dos anos 1970. Foi composto por seus antigos colegas e elementos criminosos. Funcionou como um exército privado do National Guthrie Plantations Inc. (NGPI) e do Agusan Plantation Inc. (API) para tomar a terra de agricultores nas cidades de Rosario e San Francisco, em Agusan del Sur para plantations de dendê. Milhares de agricultores foram vítimas, sendo forçados a vender ou abandonar suas terras por medo do assédio e da brutalidade das forças armadas do "Comando Perdido".

Por meio do "Comando Perdido", o ex-coronel Lademora controlou, desde 1979, duas áreas de mineração, em Sinug-ang, Bayugan 3, Rosario, em Agusan del Sur e em Tambis, Barobo, em Surigao del Sur. Muitos abusos e assassinatos foram conectados ao grupo liderado pelo Coronel Lademora. Estes não incluem o massacre de 40 civis quando ele foi designado em Las Navas, Samar, nos anos 1970, durante a ditadura Estados Unidos/F.Marcos.

Nenhuma justiça foi alcançada pelas vítimas do "Comando Perdido" e do Coronel Lademora. As FAF e a Polícia Nacional das Filipinas apoiaram a continuidade do grupo armado até os dias atuais, por usá-lo em campanhas de contra-insurreição, expansão de plantations de dendê e como fonte de recursos.

Apesar da morte do Coronel Lademora em 2015, as dolorosas cicatrizes que ele e o "Comando Perdido" infligiram ao povo permanecem frescas nas mentes das vítimas e dos moradores. Nunca poderá ser apagada da história das massas em Agusan e Surigao del Sur. Especialmente como os filhos do ex-Coronel Lademora continuaram, tanto com seus atos brutais como com a exploração profunda do povo utilizando o grupo armado.

Assim, o NEP da região nordeste de Mindanao com o apoio do povo, conscientemente se esforça para desmantelar grupos armados na região usados para abusar e destruir o modo de vida dos moradores. O NEP está determinado a defender os interesses e o bem-estar do povo contra a opressão e exploração dos capitalistas e da classe dominante local.

Vida longa ao Novo Exército Popular!

 


Escrito por Ka Ariel Montero, porta-voz do Comando Operacional Regional do NEP

 

Traduzido por I.G.D.

Please reload

Leia também...

"Necessidade contínua da Revolução Cultural"

18/11/2019

Mao: "À Memória de Norman Bethune"

15/11/2019

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

"O papel das mulheres na defesa de Stalingrado"

13/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube