ILPS condena massacre de camponeses em Colniza, no estado do Mato Grosso

27/04/2017

Nós, a Liga Internacional de Luta dos Povos (ILPS), condenamos em termos mais fortes o massacre de camponeses em Taquaruçu do Norte, cidade de Colniza, no estado de Mato Grosso, no Brasil, em 20 de abril de 2017. Grupos paramilitares empregados por proprietários de terras na manhã de 20 de abril, atacaram a vila de Taquaruçu do Norte e saquearam as casas de camponeses, entre eles mulheres, crianças e idosos, resultando no assassinato de pelo menos dez e no ferimento e desaparecimento de muitos outros.

 

Os camponeses de Taquaruçu do Norte tem sido submetidos a todos os tipos de violência por parte dos senhores de terra e grileiros locais por mais de uma década. Eles tem sido vítimas de assassinatos, torturas e ameaças, realizadas por capangas armados que são empregados pelos latifundiários locais. O Estado brasileiro sempre fechou os olhos para tais atrocidades que são cometidas pelos latifundiários contra as massas camponesas.

 

O massacre em Taquaruçu não é um acidente isolado. O terror branco tem ocorrido por um longo tempo no campo brasileiro e, nos anos 2015-2016, mais de 120 lideranças e membros do movimento popular rural foram assassinados.

 

A crise econômica que atingiu o Brasil no começo de 2014 devido a grande queda dos preços das exportações brasileiras no mercado internacional forçaram as classes dominantes a incrementar a produção de produtos agrícolas tradicionais do país para exportação (soja, açúcar, café e carne) e a extração de minerais também para exportação (minério de ferro, e petróleo bruto). Isso levou a uma intensa “fome por terras” por parte dos abutres da sociedade brasileira: os latifundiários, os madeireiros e os magnatas da mineração.

 

A grilagem de terras tornou-se algo frequente no norte de Mato Grosso e na região de MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), e está sendo acompanhada pelo surto da violência reacionária contra camponeses, quilombolas e pescadores. Milhões e milhões de toneladas de produtos tradicionais de exportação brasileiros estão sendo praticamente saqueados por grandes monopólios do comércio exterior com a conluio dos latifundiários do Brasil e da grande burguesia compradora.

 

O governo de Temer, que foi levado ao poder por meio de um golpe constitucional instigado pelos EUA, está agora preparando para retirar as restrições à propriedade estrangeira de terras agrícolas que foram impostas pelo governo Lula. Se o plano de Temer for levado a cabo, as empresas estrangeiras que tiveram que usar manequins para virtualmente possuir a terra agora poderão fazê-lo legalmente.

 

Com o governo ultrarreacionário de Temer realizando cada vez mais políticas neoliberais, a violação da economia brasileira por empresas monopolistas estrangeiras deve intensificar-se, empobrecendo ainda mais os operários, camponeses e outros setores dos trabalhadores brasileiros.

 

A resistência das grandes massas do povo também deve crescer e a violência reacionária certamente será recorrida pelo governo reacionário contra tal resistência.

 

Nós, a Liga Internacional de Luta dos Povos, expressamos nossa unidade e apoio ao movimento popular progressista no Brasil em oposição aos ataques imperialistas e reacionários contra o povo. Pedimos a todos os povos progressistas e amantes da liberdade do mundo que também ampliem sua solidariedade e apoio ao povo brasileiro em sua luta contínua pela independência nacional, justiça social e democracia!

 

Solidariedade aos camponeses de Taquaruçu do Norte!

 

Punição aos paramilitares e seus chefes latifundiários!

 

Justiça para as vítimas dos massacres no campo!

 

Abaixo às manobras de venda do país por parte da classe dos senhores de terras e de todos os reacionários submissos ao imperialismo!

 

Abaixo ao governo fantoche de Michel Temer!

 

Vida longa à construção da aliança operário-camponesa!

 

Vida longa à solidariedade internacional dos povos!

 


Profº Jose Maria Sison, Presidente da Liga Internacional de Luta dos Povos (ILPS)

 

25 de abril de 2017

 

Traduzido por I.G.D.

Please reload

Leia também...

"A trabalhadora na Rússia Soviética"

11/12/2019

"Se querem a paz, vocês têm que lutar por ela"

10/12/2019

O Socialismo Científico de Marx e Engels e o combate às ideias antiproletárias

09/12/2019

"Conversa entre J.V. Stalin e Mao Tsé-tung"

29/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube