27 de julho, dia da grande vitória do povo coreano

27/07/2016

No dia 27 de julho de 1953 foi assinado o Acordo de Armistício da Coreia.

 

Durante a guerra coreana de 3 anos, o povo coreano conquistou a grande vitória infligindo uma derrota vergonhosa ao imperialismo ianque que se glorificava do mito da “invencibilidade”.

 

Os EUA provocaram o 25 de junho de 1950 a guerra de agressão para eliminar a República Popular Democrática da Coreia que tinha então menos de 2 anos de fundação.


Mobilizou um terço das forças terrestres equipadas com armamentos ultramodernos, um quinto das forças aéreas e a maioria da frota do Pacífico, os exércitos mercenários de 15 países satélites e os uniformizados do Japão e do exército títere sul-coreano, no total, mais de 2 milhões de efetivos. Incorporou na guerra coreana as “divisões de ascenso” que acumularam “vitórias” em várias guerras de agressão e MacArthur, Walker, Ridgway, Clark, Dean e outros generais assassinos “eméritos”.

 

Gastando enormes gastos militares, bombardeou as cidades e campos da RPDC e usou sem escrúpulos as armas biológicas e químicas e até os mais bárbaros médios e métodos de guerra.

 

Não obstante, não pode superar de nenhuma maneira a vontade do povo coreano que se levantou para defender a liberdade e a independência do país.

 

O heroico Exército Popular da Coreia, matou, feriu e capturou mais de um milhão e 567 mil efetivos inimigos, deles mais de 405 mil agressores estadunidenses, e destruiu e se apoderou de mais de 12.200 aviões, mais de 560 navios de diferentes tipos, mais de 3.200 tanques e carros blindados e outros equipamentos técnicos de combate e materiais bélicos. Isto equivale a quase 2,3 vezes das perdas sofridas na Guerra do Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial.


Um período estadunidense escreveu que as “perdas das tropas estadunidenses na guerra são mais do dobro da soma de perdas sofridas pelo norte-americano nos cinco grandes conflitos, ou seja, a guerra de independência, a de 1812, a mexicana, a EUA-Espanha e das Filipinas.

 

O 27 de julho da vitória conquistada com sangue pelo exército e povo coreanos sob a direção do Presidente Kim Il Sung, invencível general de aço, brilhará de geração em geração como festa da vitória eterna da Coreia do Songun que avança com audácia frustrando os desafios dos imperialistas.

 

da Korean Central News Agency (KCNA)
 

Please reload

Leia também...

Marx: "Entrevista ao Jornal The World"

27/01/2020

"A cruzada dos Estados Unidos contra a cooperação médica internacional de Cuba"

25/01/2020

Dimitrov: "Sobre a luta contra o fascismo e os Sindicatos Amarelos"

24/01/2020

"A discriminação racial é uma doença crônica do capitalismo"

23/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube