"Paraguai: Latifúndio, causa do atraso e do subdesenvolvimento"

13/07/2016

 

Em nosso país, mais de dois milhões de paraguaios são pobres; cerca de 1.176.000 pessoas na extrema pobreza no Paraguai, não comem; 64% da população possui ao menos uma necessidade básica não satisfeita; os 40% mais pobres da população nacional recebem apenas 11,3% do total de ingressos gerados no país; ao passo que os 10% mais ricos da população concentram o restante, que são os 41% do total de ingressos do Paraguai; os 10% mais pobres da população possuem um ingresso mensal médio próximo aos 100 mil mais ricos. O Paraguai é o país com a maior desigualdade na América Latina.

 

Uma das causas fundamentais desta desigualdade é a alta concentração da terra em mãos de poucos, o cultivo extensivo de soja, a pecuária extensiva e a especulação, cujos benefícios são igualmente concentrados em algumas poucas centenas de pessoas, dado que praticamente não pagam mão de obra e não pagam impostos ao Estado.

 

Os dados dos Censos Agropecuários de 1991 e 2008 revelam esta realidade catastrófica.

 

- No ano de 1991, haviam 189.355 pequenos produtores, cujas terras possuíam menos de 10 hectares, que possuíam apenas 2,8% do total da superfície utilizada para agricultura. Em 2008, esta porcentagem baixou para 2%. 64% dos proprietários são donos de apenas 2% das terras exploradas pela agricultura.

 

- Em contrapartida, em 1991, 1,6% dos proprietários tinham em suas mãos 81,3% do total de terras utilizadas para estas atividades. No ano de 2008, 85,5% das terras estavam em mãos de 2,6% dos proprietários.

As estatísticas confirmam a existência de 351 proprietários que possuem 9,7 milhões de hectares. Em contrapartida, se estima a existência 300 mil camponeses que trabalham sem terra própria para uma população de 6,5 milhões de habitantes.

 

Estes são dados claros. A cada ano, os latifundiários acumulam mais quantidades de terras expulsando a população de pequenos produtores por meio do envenenamento massivo de comunidades inteiras, da destruição de cultivos tradicionais, e por meio da matança de animais domésticos através do envenenamento e de outras enfermidades causadas pelos agrotóxicos.

 

Sem a transformação radical da estrutura de propriedade da terra, não se pode falar em desenvolvimento, já que o latifúndio constitui a causa do atraso, e os negócios financeiros da soja, cujos benefícios são altamente concentrados, deixam por trás de si por onde passam miséria, fome e morte para a grande maioria da população.

 

Por Partido Paraguay Pyahurã

Please reload

Leia também...

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

"O papel das mulheres na defesa de Stalingrado"

13/11/2019

Lenin: "Sobre os Sindicatos, o momento atual e os erros de Trotsky"

13/11/2019

URC: "Sobre o Golpe de Estado imperialista na Bolívia"

12/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube