"Declaração sobre a viagem do Partido dos Panteras Negras à Coreia Popular"

13/05/2016

O Partido dos Panteras Negras, o movimento antiguerra, e um crescente número de progressistas dos Estados Unidos enfaticamente rejeitam e repudiam o governo fascista-imperialista dos Estados Unidos e sua classe dominante. Escolhemos então lançar um programa de Diplomacia do Povo para contrapor as perpétuas conspirações perversas e criminosas do Departamento de Estado do imperialismo norte americano. A atual visita de nossa Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos marca a inauguração pelo povo dos Estados Unidos deste programa de Diplomacia do Povo. Acreditamos ser adequado para nós lançar nosso programa com esta visita de solidariedade à República Popular Democrática da Coreia, dado que foi aqui na gloriosa e heroica RPDC a primeira vez que o imperialismo norte americano sofreu uma derrota. Acreditamos que quando o imperialismo norte americano finalmente for derrotado e o livro de sua história sem glórias for encerrado para sempre, se escreverão que foi no sagrado solo do corajoso povo coreano onde foi programada a morte e total destruição do imperialismo ianque. Nossa delegação se sente honrada por ser recebida pelo povo coreano e que nosso programa de DIPLOMACIA DO POVO tenha recebido apoio tão poderoso e significativo. Se todos os povos oprimidos e revolucionários do mundo seguissem o exemplo do povo coreano, liderados pelo perspicaz Comandante-Genial Kim Il Sung, o sempre vitorioso Camarada Kim Il Sung, então nosso programa de DIPLOMACIA DO POVO terá enorme sucesso, e o imperialismo estadunidense receberá um pungente e significativo golpe.

Reconhecemos que os fronts da luta contra o imperialismo estão aqui na Ásia. Vinte anos atrás o povo coreano enfrentou uma batalha sangrenta, mas vitoriosa contra as forças do imperialismo norte americano. Por quase um século o heroico povo vietnamita resistiu à ofensiva dos japoneses e dos franceses, e agora às armas, tanques e com as dos imperialistas dos Estados Unidos. Ainda que sua luta tem sido dura, o povo vietnamita empreendeu várias ofensivas bem-sucedidas contra os agressores estadunidenses. Deram um heroico modelo para a maioria da juventude dos Estados Unidos que ingressou no movimento anti guerra. Agora os agressores dos Estados Unidos jogaram sua chuva de bombas em todo o povo da Indochina. Em um delírio, destruíram o movimento histórico e sagrado de Angkor Wat. A CIA arquitetou um golpe militar no Camboja, enquanto o chefe de Estado Norodon Shandesh Sihanouk estava viajando à visita de países fraternos, substituindo-o pelo fantoche lacaio Lon Nol. Vendo que o heroico povo khmer não cruzaria os braços enquanto o Imperialismo descaradamente instala este regime fantoche em seu país, os imperialistas norte americanos e seus fantoches do Vietnã do Sul invadiram o território de Camboja.
 
Mas para cada ato de agressão do imperialismo ianque, o bravo povo da Indochina deu uma resposta apropriada e contundente. Desta vez eles formaram uma frente militar unificada para coordenar todos os aspectos de sua guerra de libertação. O monstro imperialista dos Estados Unidos está tão desesperado contra a brava luta do povo da Indochina que seus próprios movimentos de ofensiva demonstram a situação de temor da solidariedade e unidade dos povos da Ásia contra o imperialismo norte americano.

O povo da Indochina mais uma vez demonstrou que mesmo o poder tecnológico dos Estados Unidos sendo bastante considerável, o imperialismo estadunidense está fadado a derrota. Huey P. Newton, líder do Partido dos Panteras Negras, captou esta ideia em uma palavra de ordem: "o espírito do povo é mais forte que a tecnologia do imperialismo ianque".

Hoje as prisões dos Estados Unidos estão superlotadas de presos políticos. Líderes do Partido dos Panteras Negras como Huey Newton e Bobby Seale apodreceram na cadeia porque se insurgiram em defesa do povo. Outros foram vítimas de assassinato políticos por parte das classes dominantes. Em um caso, o brutal e sádico Departamento de polícia de Chicago invadiu à noite a casa de um líder do Partido dos Panteras Negras, Fred Hampton, e o executou enquanto dormia. Então vemos que os métodos de terror e repressão assassina são os mesmos onde o Imperialismo dos Estados Unidos coloca o pé, e tentam destruir a justa rebelião e resistência do povo. O camarada Kim Il Sung disse que "onde há opressão, há a resistência do povo".

Aqui na Coréia encontramos um povo que aplicou os fundamentos do comunismo e agora estão correndo com a velocidade do método Chollima para transformar sua sociedade em um paraíso na terra. E a única coisa que impede o povo coreano de chegar a este paraíso é a ocupação do exército dos agressores imperialistas dos Estados Unidos.

Os imperialistas gostam de cantar uma música de nome "Deus abençoe a América" e em cada cédula de dólar se encontra o lema "In God we trust", mas nem o próprio Deus, caso ele existisse fora da mente de pregadores e padres capitalistas, poderia salvar o imperialismo norte-americano da inevitável derrota que os povos do mundo estão preparando desferir contra ele. E queremos mostrar ao mundo que os próprios povos dos Estados Unidos estão cada vez mais ingressando as fileiras dos coveiros que estão preparando o terreno onde será enterrado o capitalismo, racismo, fascismo e o imperialismo estadunidenses.

O mês de julho foi um mês de comemorar a vitoriosa luta do povo coreano contra o imperialismo norte americano. De todos os países fraternos e movimentos de libertação de todo o mundo vieram comunicados tenros, ao povo coreano e ao Comandante-Genial, camarada Kim il Sung, expressando solidariedade à sua valente luta contra os agressores imperialistas dos Estados Unidos que dividiram seu grande país em dois. Todos os povos progressistas e revolucionários do mundo reconhecem que foi o povo coreano o primeiro a fazer o imperialismo norte americano tremer na base 17 anos atrás.

Nesta ocasião, nós da Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos temos a honra de fazer esta primeira viagem histórica à República Popular Democrática da Coréia. Nossa visita aqui representa uma enorme contribuição ao invencível Exército Mundial das forças que combatem o imperialismo norte americano. Porque não é apenas em cada canto da Ásia, África e América Latina que os povos estão se insurgindo para conquistar sua liberdade e seus direitos humanos mais vitais; agora no pulmão da besta imperialista, revolucionários da luta branca e negra estão se encaminhando para derrubar o perverso sistema capitalista que oprime o povo dos Estados Unidos e com certeza é a maldição de todo o mundo.

Dado que vivemos todos os dias dentro dos confins da besta imperialista - o grande inimigo de toda a humanidade - compreendemos sua natureza de forma bem clara. Em nosso país vemos sua opressão fascista e a exploração capitalista das massas populares -  negros, mexicanos, os povos nativos, asiáticos e brancos pobres. Vemos a grande riqueza de nosso país ser roubada e consumida pelos monopólios capitalistas sedentos por lucro, enquanto as crianças morrem de desnutrição e fome.

 

Sabemos que por causa da natureza racista da América imperialista, as pessoas são presas por nada mais do que a cor de sua pele. Nossos camaradas foram assassinados nas ruas por tropas fascistas contratadas que com audácia clamam nos "servir e proteger", e estudantes são espancados e presos porque se recusam a ficar em silêncio em face da opressão fascista e da agressão imperialista.

Aqui na Ásia vemos com mais nitidez a outra face do fascismo estadunidense, nomeadamente a agressão imperialista. A questão não pode ser apresentada mais claramente - nosso inimigo é um e o mesmo: o brutal imperialismo norte americano que cometeu injustiça, desumanização, e exploração incalculáveis sobre os povos de todo o mundo. Unidos com vocês através de nossa determinação comum em trazer a morte final ao imperialismo, nós da Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos, representando os progressistas dos Estados Unidos, nos colocamos em firme e militante solidariedade com os 40 milhões de coreanos sob a sagaz liderança do Camarada Kim Il Sung, em sua luta pela retirada da Coréia do Sul dos agressores imperialistas e unificar sua gloriosa pátria.


Esta viagem para a Coréia possui significância histórica para nós não apenas por nos dar a possibilidade de expressar nossa solidariedade com o povo coreano, mas também porque será de grande ajuda para o fortalecimento de nossa luta revolucionária. A classe dominante dos Estados Unidos trabalha arduamente para isolar nossa luta e mentir para o povo norte americano sobre a força do movimento anti-imperialista mundial, constantemente se gabando da iminente vitória da política externa de agressão dos Estados Unidos. Nesse sentido eles tentam tornar as pessoas ignorantes sobre sua própria força de destruir o sistema capitalista que os oprime todos os dias de suas vidas! Esta ignorância é parte do plano traiçoeiro dos imperialistas que tem suas mãos manchadas de sangue já afetadas com as lutas revolucionárias dos povos da África, América latina e principalmente Ásia. Os imperialistas temem que arranquem seu coração por dentro, e por isso perpetuam essa ignorância. Mas o povo americano, principalmente sua juventude, está desnudando está traiçoeira teia de mentiras. Eles estão vendo o imperialismo norte americano ser derrotado nos campos de batalha da Ásia, particularmente nas heroicas guerras de libertação dos povos do Laos, Vietnã e Camboja.

Nossa viagem à República Popular Democrática da Coréia desempenhará um papel crucial em destruir a teia de mentiras do imperialismo norte americano. Vimos aqui com nossos próprios olhos a beleza e a força do povo coreano sob a sagaz liderança do Camarada Kim Il Sung, aprendemos em detalhes sobre a gloriosa luta antijaponesa; a vergonhosa derrota dos Estados Unidos na Guerra de Libertação da Pátria, as grandes conquistas da construção do socialismo, e a sua justa e invencível luta pela reunificação da pátria. Voltaremos para o povo norte americano armados com este conhecimento e lhe daremos um relatório completo. Sabemos que isto será um passo significante para o objetivo final de destruição do imperialismo norte americano em todo o mundo.

Nós estudamos a longa e árdua luta que o povo coreano levou a cabo pela sua liberdade e independência. E compreendemos o profundo significado que a luta antijaponesa tem para sua história revolucionária. Ao visitarmos Mangyondae, o berço espiritual da revolução coreana, aprendemos como o grande líder Camarada Kim Il Sung empreendeu a luta que levou o povo coreano à libertação, à revolução e ao socialismo. Em Bongwa, nos adentramos na história revolucionária da família do Camarada Kim Il Sung - uma família que lutou bravamente por gerações como verdadeiros patriotas da Coréia. Vimos como a linhagem revolucionária do grande líder foi corajosamente plantada, e cuidadosamente educado para que ele fosse capaz de cumprir com a gloriosa tarefa de liderar o povo coreano para o caminho de sua libertação e da revolução.


Liderando a vitoriosa luta de 15 anos contra o imperialismo japonês, o Camarada Kim il Sung foi capaz de ver aquilo para com o que os outros fechavam seus olhos, a ascensão iminente do militarismo japonês sob os ditames do imperialismo norte americano. De Tojo até Sato, os objetivos dissimulados e as ambições gananciosas dos japoneses de dominar toda a Ásia, e a Coréia em particular, continuam a mesma coisa.

Como o Camarada Kim Il Sung tão sabiamente apontou "Os Imperialistas dos Estados Unidos estão organizando a formação da dita 'Aliança Pacífica'. Isto significa rearmamento do imperialismo japonês e a utilização dele como 'tropa de choque' para uma guerra de agressão contra a RPDC, a União Soviética e a República Popular da China, e para derrubar os movimentos de libertação dos povos de vários países oprimidos na região do Pacífico". As massas populares dentro dos Estados Unidos devem ficar cientes do papel jogado pelo militarismo japonês no plano do imperialismo norte americano para a dominação de toda a Ásia.

A histórica pretensão do Ocidente inferior e bárbaro em conquistar e suprimir as sociedades superiores e civilizadas do Oriente nunca foi abandonada desde o primeiro dia em que os exploradores do Ocidente colocaram seus olhos gananciosos e saqueadores na rara beleza do Oriente. A abordagem sórdida e predatória do Ocidente para com o oriente agora é encorpada nas tentativas abjetas e desprezíveis do imperialismo norte americano de conquistar a Ásia.


Estamos lidando com um monstro arrogante envaidecido com o falso orgulho de um bandido que falsamente identificou seu saque e pilhagem como se fossem suas próprias realizações e contribuições para a civilização.

Quando retornarmos para os Estados Unidos iremos reeducar o povo americano a respeito de um longo capítulo esquecido de sua história, aquele capítulo onde o povo coreano foi o primeiro a deixar o Imperialismo norte americano de joelhos, infligindo a eles uma pesada e humilhante derrota há 17 anos ao longo do paralelo 38, portanto acabando para sempre com o mito de que o imperialismo norte americano jamais seria derrotado.

Os agressores imperialistas dos Estados Unidos se esforçaram muito em esconder está história por trás de um mar de histeria anticomunistas e perversas mentiras. Ergueram bem alto a bandeira manchada de sangue das ditas Nações Unidas em suas tentativas de justificar a agressiva invasão à Coréia do Norte. Ensinaram ao povo dos Estados Unidos que a guerra da Coréia foi uma "cruzada sagrada para libertar o mundo dos comunistas" quando na verdade foi uma guerra de expansão imperialista. É dever da "Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos" destruir esta rede de mentiras e reconstruir ao povo americano este período histórico que aprendemos sobre nos Museus, vilas e montanhas de seu país.

Iremos contar a eles sobre o 25 de junho de 1950 - uma data que deve ir para a história como o começo do declínio dos imperialistas norte-americanos, mentirosos e assassinos. E falar do 26 de junho de 1950 - quando o Marechal Kim Il Sung, o brilhante Comandante, emanou seu chamado heroico para o povo coreano se erguer e expulsar os agressores. A história mostrou que naquele dia ele fez um chamado não apenas para o povo coreano, mas para todas as massas oprimidas e exploradas do mundo para começarem sua gloriosa luta para destruir para sempre as máquinas de guerra imperialistas, principalmente o imperialismo norte americano. Queremos que os progressistas dos Estados Unidos escutem de coração este chamado de 20 anos atrás.


E a Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos fará com que o povo americano ouça a terrível verdade sobre os 57 dias que os imperialistas dos Estados Unidos se arrastaram sobre a cidade de Sinchon e várias outras regiões de sua pátria, cometendo indescritíveis atrocidades contra pessoas inocentes. Irão ouvir as palavras de seu amado líder quando ele disse: "Engels uma vez descreveu o exército britânico como sendo o exército mais brutal. Durante a Segunda guerra mundial, o Exército Fascista Alemão ultrapassou o exército britânico em selvageria. Nenhuma mente humana poderia imaginar barbaridades mais diabólicas e horríveis do que as cometidas pelos vis hitleristas naquela época. Mas na Coréia, os ianques ganharam de longe dos hitleristas".

É de vital importância que o povo americano finalmente conheça o resto da história daquela guerra atroz, da forma que os saqueadores imperialistas dos Estados Unidos fugiram para o Sul em face das armas e da determinação de um povo que se recusou ser escravizado pelo imperialismo. De como os governantes mentirosos do imperialismo norte americano imploraram por negociações e então fizeram na mesa de negociações suas traiçoeiras exigências por territórios que não poderiam ganhar em batalha.

 

E como o heroico Exército Popular da Coréia prestou atenção às palavras do obstinado Comandante-Genial, Marechal Kim Il Sung, quando ele os instruiu a não dar um pedaço de terra ao inimigo. E como sob sua sábia instrução, lutaram bravamente, cada lutador de igual para igual contra cem do inimigo. Iremos dizer a eles como cada esforço agressivo de guerra foi frustrado pelo Exército Popular da Coreia no front, apoiados pela ingenuidade, força e amorosa dedicação daqueles na retaguarda. Apenas assim, irão compreender o porquê dos generais dos Estados Unidos finalmente foram forçados a pegar a caneta e se renderem, em tinta extraída do sangue de centena de milhares de lutadores coreanos que morreram para defender sua terra.

E com a maior das alegrias que iremos dizer ao povo americano sobre as gloriosas vitórias de sua revolução socialista, da milagrosa construção econômica que construiu um paraíso na terra em uma terra que havia sido transformada em ruínas e escombros pelos saqueadores imperialistas dos Estados Unidos 17 anos atrás. Visitamos suas fábricas e fazendas cooperativas e vimos os resultados do método Chollima com o povo indo a mil no simultâneo desenvolvimento da Indústria pesada, indústria leve e da agricultura. Nenhum outro povo na história foi capaz de conquistar resultados tão fantásticos de uma vez em todas as áreas da economia.


Quando visitamos Hamhumg, vimos uma cidade industrial moderna, construída para as necessidades do povo. Nos Estados Unidos capitalista, a tecnologia é altamente avançada, mas serve apenas para explorar e assassinar pessoas, humilhar e destruir sua humanidade. Mas na Coréia, vimos e sentimos como a tecnologia socialista trabalha para a libertação do povo. Vimos que há muito tempo aboliram a exploração do homem pelo homem e que agora sua luta para emancipar os homens do trabalho pesado é outra etapa que em breve será conquistada pelo povo coreano. Os operários e necessitados do mundo tem muito a invejar nas vidas dos trabalhadores na República Popular Democrática da Coréia - mas como seus filhos cantam em suas músicas, eles não possuem nada a invejar no mundo todo!

Vimos também os grandes sucessos que tiveram na emancipação da mulher. Séculos e séculos de opressão e exploração foram varridos desde a promulgação da lei de igualdade entre os sexos de 24 anos atrás. O cuidado especial que é dado às necessidades das mulheres revolucionárias da Coréia não pode ser equiparado - um sistema de creches e benefícios na maternidade tão completo é o sonho das mulheres em todo o mundo.

Vimos nos rostos de suas crianças, as sementes da revolução, a realização de um outro sonho de séculos de uma vida feliz sem quaisquer preocupações. Elas são uma geração incutida com a missão sagrada de uma vez por todas expulsar os imperialistas norte-americanos da Coréia do Sul, reunificar a pátria e completar a revolução coreana. Do Palácio das Crianças e berçários e jardins de infância do Chollima até as ruas movimentadas onde Jovens Pioneiros marcham vigorosamente e com alegria para suas escolas, as vozes destes jovens já com o espírito de Chollima ressoam com sua dedicação àquela luta, com seu amor por sua gloriosa terra, e sua devoção inabalável ao amado líder cuja prontidão os vem estimulando desde a infância.

Claro, nós da Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos nos sentimos como se fosse nosso maior dever construir uma luta militante nos Estados Unidos contra a ocupação dos porcos imperialistas, principalmente os dos Estados Unidos, da parte sul de sua pátria. Após duas longas e amargas guerras lutadas pelo povo da Coreia contra aqueles que os manteriam como servos coloniais, essa divisão artificial de uma terra, de um povo, de uma família, continua. O povo norte americano deve compreender que não fosse pela armas e aviões e dinheiro dos agressores imperialistas dos Estados Unidos, a claque do fantoche Pak Jung Hi não duraria nem por algumas horas. E como se a própria ocupação da Coreia do Sul não fosse por si só um ato de agressão, o imperialismo estadunidense incessantemente introduz provocações atrás de provocações contra a soberania da RPDC.

A bandeira que iremos levantar entre o povo dos Estados Unidos é para com que as tropas norte-americanas saiam da Coreia do Sul para que todos os coreanos possam decidir sobre seu futuro como uma nação unificada. Mas iremos falar ao povo dos Estados Unidos e ao próprio imperialismo norte-americano, que se não saírem voluntariamente, não resta dúvidas, nenhum pingo de dúvida, que dá próxima vez o povo coreano irá expulsá-los da península, para fora de cada bairro de cada cidade da Coréia do Sul, onde eles estão perpetrando suas atrocidades. O imperialismo tentará fechar os ouvidos, talvez tentar nos silenciar, mas eles terão que saber que seu tempo é curto, e a cada hora que passa fica cada vez mais curto. As palavras de nosso brilhante, obstinado Comandante, Marechal Kim il Sung ressoam claramente com sua inequívoca mensagem aos agressores: "Nós não queremos guerra, mas nunca a temeremos. Nosso povo e o Exército do Povo retornará com retaliação a retaliação do imperialismo norte americano, combater guerra total com guerra total. Os imperialistas norte americanos devem estar plenamente cientes que se eles agravarem a situação e persistentemente irem pelo caminho da guerra apesar de nossos avisos, sofrerão uma derrota ainda maior desta vez."



Eldridge Cleaver, pela “Delegação Anti-imperialista dos Povos dos Estados Unidos”, em 1970
 

Tradução de Gabriel Duccini
 

Please reload

Leia também...

"Como Mao Tsé-tung estudava e investigava"

21/11/2019

"Para você, amado camarada"

19/11/2019

"Necessidade contínua da Revolução Cultural"

18/11/2019

Mao: "À Memória de Norman Bethune"

15/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube