Pistoleiros disparam contra camponeses em SP

21/06/2015

Na zona rural do município de Euclides da Cunha Paulista, região do Pontal do Paranapanema, cinco homens armados com escopetas calibre .12 e carabinas invadiram o Acampamento 1° de Maio, erguido por lavradores sem terra organizados pela Frente Nacional de Luta Cidade e Campo, e começaram a atirar contra as famílias do acampamento, incendiando os barracos dos lavradores que acabavam de ser erguidos.

 

O ataque realizado contra o acampamento foi, na verdade, a tentativa de assassinar uma trabalhadora rural de 40 anos, liderança do movimento camponês local que, contudo, conseguiu escapar e sair ilesa dos disparos efetuados pelos pistoleiros contratados por latifundiários locais.

 

O Pontal do Paranapanema permanece como a região do estado de São Paulo mais marcada pela violência da pistolagem e da classe latifundiária contra os lavradores pobres que lutam pela pauta democrática da passagem da propriedade da terra para todos aqueles que efetivamente as trabalham, assim como a região paulista onde as ocupações de terras por posseiros e assalariados agrícolas tomam as formas mais radicalizadas.

 

por Alexandre Rosendo

Please reload

Leia também...

Marx: "Entrevista ao Jornal The World"

27/01/2020

"A cruzada dos Estados Unidos contra a cooperação médica internacional de Cuba"

25/01/2020

Dimitrov: "Sobre a luta contra o fascismo e os Sindicatos Amarelos"

24/01/2020

"A discriminação racial é uma doença crônica do capitalismo"

23/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube