"A essência do Imperialismo permanece inalterada"

05/05/2015

Em 1989 a situação interna da grande maioria dos países socialistas não era nada fácil. Uma poderosa crise política, econômica e social abatia grande parte dos países socialistas do Leste Europeu, dirigidos pelo revisionismo, ou largamente influenciados pelo mesmo, e culminou na destruição dos Estados Proletários que ali existiam.

 

Na China, ocorria algo semelhante. O país passava há mais de 10 anos por um processo de Reformas Econômicas e de Abertura, iniciado após as orientações de Deng Xiaoping e a adoção da tese da "etapa primária do socialismo".  Na época, o Secretário-Geral do Partido Comunista da China, Zhao Ziyang, empático com as teorias neoliberais, vacilava em aplicar as diretivas do Partido Comunista da China de combater o liberalismo e a influência da ideologia burguesa, o que resultou em seu afastamento.

 

Vários tipos de teorias reacionárias e burguesas circulavam no país, mesmo no alto escalão do Partido e exigiam que fossem duramente combatidas. Uma das teorias caducas travestidas de “modernas” visava combater a teoria leninista do Imperialismo. Chen Yun, histórico líder do Partido Comunista da China, se levantou contra tais aberrações ideológicas e, no momento correto, conseguiu impor um duro golpe nos representantes dessas tendências. Segue abaixo uma intervenção feita pelo líder comunista.


"A Essência do Imperialismo Permanece Inalterada (Chen Yun)

8 de Setembro de 1989

Gostaria de discutir uma questão teórica, que também possui relevância prática. As exposições de Lenin sobre as cinco características básicas do imperialismo e sobre a agressão e a hegemonia como a essência do imperialismo estão, agora, ultrapassadas? Em minha opinião, não. Quando Lenin estava trabalhando neste artigo, a Primeira Guerra Mundial, que fora promovida pelas nações imperialistas, que buscavam a partilha colonial do mundo, não havia terminado.

Em vez de resolver o conflito básico entre os países imperialistas, a guerra provocou a revolução proletária. Os fatos históricos mostram que os imperialistas originalmente invadiram e infiltraram-se em outros países pela força, e depois disso passaram a utilizar ambos os meios, ideológicos e militares.

Neste momento, eles costumam empregar, mais frequentemente, meios ideológicos (político, econômico e cultural). Eles tentam levar a cabo uma chamada “evolução pacífica” contra os países socialistas. É prejudicial e totalmente errado julgar a teoria de Lenin sobre o imperialismo como algo ultrapassado.

Agora é a hora de levantarmos nossas vozes para resolvermos esse assunto".

 

Fonte: Tomo III das Obras Escolhidas de Chen Yun, Edições em Línguas Estrangeiras

Please reload

Leia também...

Dimitrov: "Sobre a luta contra o fascismo e os Sindicatos Amarelos"

24/01/2020

"A discriminação racial é uma doença crônica do capitalismo"

23/01/2020

"O 29º Aniversário da Morte de V. I. Lenin"

21/01/2020

As críticas de José Duarte à Direção Nacional do PCdoB em 1988

20/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube