banner VII Salao do Livro Político.gif
  • NOVACULTURA.info

"O que a Revolução de Outubro fez pelas mulheres do ocidente?"



O que a Revolução de Outubro conquistou em termos de emancipação das mulheres proletárias na União Soviética é, de conhecimento de todos, claro e indiscutível. Entretanto, que efeitos a Grande Revolução de Outubro teve sobre o movimento para a emancipação das mulheres dos países burgueses em geral? No que este acontecimento contribuiu para a criação da "nova mulher", envolvida nas tarefas e aspirações da classe operária?


A Guerra Mundial, que, na Europa e na América do Norte, atirou números significativos de mulheres dos setores mais empobrecidos da população, e aqueles com "meios moderados" para o turbilhão da produção e da administração estatal, indubitavelmente serviram para impulsionar consideravelmente a causa da emancipação feminina. O rápido crescimento do trabalho feminino trouxe consigo mudanças sem paralelos na vida familiar, assim como de modo geral na vida das mulheres dos países burgueses. No entanto, esse processo de emancipação feminina dificilmente teria avançado de tal maneira sem o poderoso exemplo da Revolução de Outubro. A Revolução de Outubro ajudou a trazer uma nova compreensão acerca das mulheres, revelando e confirmando a perspectiva da mulher enquanto unidades de trabalho socialmente úteis. Desde os primeiros dias da Revolução de Outubro, tornou-se claro que as energias das mulheres são necessárias não somente para o marido e a família, como se entendeu durante milhares de anos, mas também para a sociedade, a coletividade social como um todo, ao Estado.


Porém, tal fenômeno é um fato histórico inevitável, de que a formação de um novo tipo de mulher é conectada a uma transformação geral no rumo da criação de uma nova sociedade operária, é algo que a burguesia não pode e não deseja dar reconhecimento. Se não fosse pela realização da Revolução de Outubro, ainda estaria em pé a crença geral de que a mulher como dirigente de sua própria vida seria apenas um fenômeno temporário, e que o lugar da mulher é na família, como caudatária de seu marido chefe de família. A Revolução de Outubro alterou uma série de conceitos. Essa mudança radical na compreensão das tarefas e vocações das mulheres na União Soviética afetou a atitude da mulher de modo geral e para além das fronteiras socialistas. Agora podemos encontrar mulheres em todos os lugares, em todos os rincões do planeta A nova mulher é fenômeno de massas, com exceção, apesar de tudo, das mulheres dos países coloniais e semicoloniais, onde o desenvolvimento das forças produtivas é entravado pelo jugo predatório do imperialismo. Todavia, mesmo nestes países, no contexto das lutas de autodeterminação nacional contra o imperialismo, a nova mulher tem se encaixado em todas as esferas de luta. É impossível obter sucesso nas lutas entre grupos e classes sociais sem a cooperação das mulheres.


A nova mulher é essencialmente uma unidade de trabalho independente, cuja energia é utilizada não para servir aos interesses duma economia familiar privada, mas para realizar trabalho social, útil e necessário. Ela vem se libertando daquelas características morais que marcaram a mulher do passado. Trivialidade feminina, conservadorismo e restrito alcance de ideias, sua inveja e malícia frente a outras mulheres enquanto suas rivais na caçada para um provedor - todas estas características não são mais necessárias naquela esfera, onde ela está agora lutando para sobreviver. Assim que as mulheres começarem a viver de seu próprio trabalho, elas necessitarão desenvolver diferentes qualidades e adquirir novos hábitos, e milhões de mulheres operárias em todo o mundo estão se apressando para se rearmar moralmente.


É interessante observar como, não somente em nosso país, mas para além dele, as mulheres estão aprendendo a serem eficientes e trabalhadoras onde o trabalho é necessário. Elas estão totalmente conscientes de que seu próprio bem-estar, e frequentemente também o de suas crianças, dependem diretamente delas, de seu trabalho e qualificações. Externa e internamente elas estão se adaptando às novas condições nas quais estão vivendo. Internamente, psicologicamente, a mulher está deixando de ser paciente e obediente, que deve dar toda a sua vida ao seu marido e família. Agora as mulheres não possuem mais tempo para serem "sentimentais", e tão pouco podem ser “obedientes” e pacientes. É mais importante para elas que estejam certas de sua própria força, estoicas em suas ações, e que não sejam mais distraídas por suas emoções...


Em adição à sua eficiência e em seus esforços por elevar suas qualificações e melhorar sua saúde e força físicas, para aumentar seu valor no mercado de trabalho, a nova mulher trabalhadora difere da mulher do passado também em seus sentimentos e em sua consciência de vinculação à sua classe, com o coletivo. As mulheres estão envolvidas na política e, mais uma vez, se a guerra atraiu inúmeras mulheres para os embates políticos, foi somente a Revolução de Outubro que reconheceu publicamente, por sua legislação, por toda a prática do novo sistema Soviético, que uma vez que a mulher esteja trabalhando para si e para a sociedade, ela deve ser reconhecida como cidadã ativa. A enorme mudança na posição das mulheres na União Soviética tem encorajado grupos sociais em conflito a atraírem mulheres para seus respectivos lados. Em todo o lugar, em todo o país, a atividade política das mulheres tem mostrado crescimento sem precedentes nos últimos dez anos. As mulheres estão se tornando membros de governos (Bang, na Dinamarca - Ministério da Educação; Margaret Bondfield no gabinete de Ramsay McDonald na Grã-Bretanha), assim como ingressando em corpos diplomáticos e se tornando força inspiradora para grandes movimentos revolucionários (como o exemplo de Soong Ching-ling, a esposa de Sun Yat-sen). As mulheres estão aprendendo a dirigir departamentos, encarregando-se da organização econômica, norteando sua política.


Tudo isso teria sido possível sem a Revolução de Outubro? Poderia a nova mulher-cidadã e operária socialmente útil ter emergido sem o bravo furacão que passou sobre o mundo? Poderia a mulher operária de outros países ter dados passos tão largos na via da compreensão de sua emancipação sem a Revolução de Outubro? Qualquer um que pare para pensar entende que a resposta é não. Por isso as mulheres trabalhadoras em todo o mundo não podem senão sentir que o aniversário de dez anos da Revolução de Outubro é um grande festival das massas operárias do mundo.


A Revolução de Outubro afirmou a importância das mulheres trabalhadoras. A Revolução de Outubro criou tais condições das quais irão assegurar a vitória da "nova mulher".


Escrito por Alexandra Kollontai


Texto original publicado na Revista Ogonyok, nº 41, 9 de outubro de 1927.


Traduzido por I. G. D.