• NOVACULTURA.info

"Que a União das Mulheres seja uma tropa poderosa que impulsiona o avanço do socialismo"



Resulta muito significativo que o VII Congresso da União Socialista das Mulheres da Coreia, organização política massiva das mulheres coreanas, seja realizado imediatamente depois da exitosa celebração da histórica III Reunião Plenária do VIII Período do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia.


Hoje se elevam o entusiasmo e o ímpeto de todo o povo, alentado em sumo grau pelas resoluções e medidas especiais adotadas na recente Reunião Plenária do Comitê Central do Partido com a finalidade de impulsionar nossa construção socialista de forma mais exaustiva e vigorosa.


Em nome do Comitê Central do Partido, estendo as mais calorosas felicitações a este Congresso, efetuado em uma conjuntura transcendental da edificação socialista, com a esperança de que seja uma boa oportunidade para voltar a dar uma correta compreensão da posição e tarefas do movimento feminino coreano que ocupa um lugar importante no processo revolucionário e formar as integrantes da União como revolucionárias fiéis ao Partido e patriotas inflexíveis.


O avanço e desenvolvimento ininterruptos do socialismo ao nosso estilo e o aumento contínuo do poderio estatal em condições subjetivas e objetivas tão complexas como as atuais são inconcebíveis sem a lealdade e o patriotismo das mulheres coreanas e integrantes da União que movem com brio uma das rodas da revolução pelo caminho de triunfo sob a guia do Comitê Central do Partido.


O nobre mundo espiritual e a luta inflexível de nossas mulheres que nos momentos alegres e tristes seguem somente o Partido do Trabalho da Coreia confiando-lhe todo seu ser e não poupam esforços de ilimitada abnegação para adornar a pátria socialista de maiores triunfos e glória que orgulha em grande medida nosso Partido e povo.


Na indelével trajetória de luta destes últimos cinco anos em que a revolução coreana logrou um auge espetacular passando por um novo período de provas e treino, realizaram façanhas substanciais para a pátria, o povo e as jovens gerações pondo em pleno jogo seu grande fervor patriótico.


Embora as calamidades naturais e outros sucessivos desafios para nosso Estado e povo supusessem maiores dificuldades em todos lugares do país, elas, antes de preocupar-se por sua vida econômica, pensaram na responsabilidade que assumem ante ao Partido e a pátria, e com toda devoção trabalham para sustentar nosso regime e incrementar o poderio estatal.


Os grandes êxitos e cada uma das orgulhosas criações que simbolizam a autoestima e a prosperidade do Estado levam impressas as marcas do nobre sentimento e a entrega de todas as mulheres coreanas que protagonizaram façanhas laborais ao acudir a setores importantes da construção socialista e encarregar-se de tarefas difíceis, superaram as dificuldades com sorriso e adornaram a grande família socialista com suas belas virtudes e traços.


A emocionante sinceridade com que, ainda suportando a pesada carga dos afazeres domésticos, induzem seus queridos esposos e filhos a seguir com lealdade o Partido e a revolução e se esforçam com afinco para encontrar e realizar trabalhos que beneficiem o país acrescenta força a nossa revolução que avança vencendo as provas.


Para colocar-se dignamente na atual posição estratégica, reconhecida mundialmente, e exibir seu orgulho e glória, nosso país contou com a abnegação e o apoio desinteressado de suas mulheres fortes e puras. O Partido sempre tem bem em mente seus gestos valorosos e louváveis e seus belos sentimentos.


Aproveito esta ocasião para enviar minhas mais cordiais saudações de agradecimento a todas que se dedicaram de corpo e alma para o fortalecimento e desenvolvimento do país, o luminoso futuro das jovens gerações, a unidade e a harmonia da sociedade e da família, superando valorosamente as provas sempre seguindo o Partido.


Avançar com firmeza a uma nova vitória do socialismo, assumindo de forma plena e consequente a responsabilidade da segurança e do bem-estar do povo, por mais severa que seja a situação que enfrentamos, e assim oferecer ao povo e às mulheres coreanas, os melhores do mundo, um futuro mais brilhante e uma vida estável e feliz, livre de toda preocupação, é uma firme vontade do Partido.


Nesse sentido, sua última reunião plenária apresentou uma política de capital importância que possibilitará o rápido desenvolvimento da construção socialista em péssimas situações e adotou medidas decisivas de implementação para resolver problemas urgentes, objeto de grande interesse e desejo de nosso povo e mulheres.


Se nos momentos tão difíceis como os atuais todo o povo se aglutina monoliticamente em torno ao Partido, cultiva uma vontade e fé inflexíveis em vez de abrigar uma vaga esperança, e manifesta o espírito próprio da revolução coreana e o estilo de luta de apoio nas próprias forças e de perseverança, o florescimento e a felicidade de uma nova era, anunciados pelo VIII Congresso do Partido virão infalivelmente ao nosso encontro.


As mulheres constituem poderosas forças de desenvolvimento estatal e social. Sem seu papel não se pode pensar na família, na sociedade e também no futuro da pátria.


Ao agrupar as mulheres que compõem a metade da população e pôr em ação seu espírito e patriotismo, se pode potenciar as forças próprias e o motor interno da revolução e acelerar mais a velocidade da construção socialista. Por esta razão, o Partido concede um profundo significado ao papel da União das Mulheres, organização política de massas e de educação ideológica, na atual marcha para abrir uma era de novo auge e grande transformação na construção socialista.


A União das Mulheres deve necessariamente aumentar consideravelmente sua capacidade de combate nesta etapa crucial da revolução e convocar todos seus membros a materializar as resoluções principais do Congresso do Partido e de seu Comitê Central, para assim injetar mais vigor a nossa revolução que avança e impulsionar energicamente a atual marcha geral de todo o povo.


Sua tarefa central na etapa atual é formar todas suas integrantes como revolucionárias genuínas e patriotas fervorosas com uma sólida preparação política e moral e que se consagram ao trabalho socialista e patriótico.


Lhe corresponde pôr em pleno manifesto o poderio do movimento feminino coreano ao implantar firmemente em seus membros o suporte ideológico e espiritual de fidelidade e patriotismo e enaltecer ao máximo o fervor revolucionário.


Primeiro, a suas organizações lhes compete pôr um grande empenho no trabalho ideológico encaminhado a elevar o nível político e de consciência de seus membros.


Esta é uma fase indispensável e primordial para prepará-las como revolucionárias autênticas que se consagram à prosperidade e ao desenvolvimento da grande família socialista, sem perseguir somente a felicidade de um só lar.


O fundamental nessa tarefa é semear profundamente nelas a linha e a política do Partido.


O processo de equipá-las com essas diretrizes da revolução e sua revolução e organizá-las e mobilizá-las para sua materialização é precisamente o de elevar a consciência política das massas e as converter em revolucionárias e comunistas.


As organizações da União das Mulheres devem pôr oportuna e corretamente seus membros a par das linhas e política do Partido e explicar-lhes com palavras claras e compreensíveis sua essência e conteúdo, de modo que se convençam de que serão mais poderosas e ricas ao proceder conforme a política do Partido.


Em particular, lhes darão a conhecer a fundo as metas e tarefas de luta e as ideias essenciais que devem tomar como guia na vida pública e privada, apresentadas no último Congresso do Partido e nas reuniões plenárias de seu Comitê Central, de maneira que se conscientizem claramente de seus deveres nesta nova era de avanço e dinamismo.


É importante divulgar e educar na justeza e vitalidade da política do Partido, em estreita relação com a realidade e de forma verídica e persuasiva, para que todas suas integrantes sintam na própria pele o quão grandes são o amor e a solicitude do Partido e do Estado ao povo e quão generosos são os benefícios que recebem e se esforcem para corresponder-lhes.


Não se limitarão a transmitir uma ou duas vezes as ideias e orientações do Partido, mas lograrão que cada momento de trabalho com as integrantes da União para rearmá-las com as linhas e política do Partido.


É preciso ampliar seus conhecimentos políticos por meio das publicações revolucionárias como o órgão do Partido e a revista Joson Nyosong. Os membros da União devem fazer parte da vida e um hábito a leitura diária do Rodong Sinmun, para assim gravar bem a voz do Partido e conhecer melhor a palpitante realidade da construção socialista. Devem redigir a revista Joson Nyosong com profundo significado político ao refletir sensivelmente a política do Partido e insertar nela temas urgentes para a educação feminina e que satisfaçam sua curiosidade, fazendo da publicação uma grata companhia de todas mulheres.


Na tarefa de elevar o nível político e de consciência das integrantes da União resulta importante efetuar como uma ofensiva a educação ideológica centrada na educação nos cinco pontos.


É necessário fazer de distintos meios educativos, entre eles a caravana pelos antigos lugares de combate e outros lugares históricos revolucionários, um procedimento da formação política em que se cultiva a lealdade ao Partido, a inflexível fé no triunfo da revolução, o ardente amor à pátria socialista, a clara consciência de classe e as qualidades comunistas.


Aprenderão com o nobre mundo ideológico e espiritual e o estilo de luta das antigas gerações da revolução. Herdar das mesmas a lealdade, o espírito revolucionário, a inflexível disposição de luta e os nobres traços é uma tarefa importante para qualquer uma das contemporâneas. Especialmente se apresenta como uma questão urgente às mulheres que ocupam um lugar preponderante no afazer de dar continuidade ao espírito revolucionário da família e o prestígio da potência.


Ao apreciar corretamente o espírito revolucionário das antigas gerações e o verdadeiro valor de seu sangue e suor, serão protagonistas genuínas da grande era de transformações e pedras firmes que sustentam o país dando continuidade à excelente tradição familiar e nacional, em vez de ser simples espectadoras que dá cerca do pequeno lar observam a época e a realidade em constantes mudanças.


Às organizações femininas compete educar ideologicamente seus membros com dados históricos verídicos, de forma que se convençam de que ao confiar e seguir o Partido e o Líder como pilares espirituais, como fizeram os heróis e precursores do período da restauração e construção pós-guerra e da era Chollima, podem preencher de glória sua existência, assegurar a felicidade da família e da posteridade e fazer mais brilhante o futuro da pátria. Lograrão que elas tomem como paradigmas as antigas gerações que em apenas dez anos do pós-guerra levantaram sob a guia do grande Líder Kim Il Sung um paraíso socialista onde ressoa a canção "Não invejamos nada no mundo" e se consagrem para antecipar o dia da riqueza e fortalecimento projetado pelo Partido.


Segundo, as organizações femininas devem educar e guiar seus membros a possuir nobres traços cultos e morais.


Estes devem ter continuidade no estilo de vida da nação, no modo de vida da sociedade e nas qualidades de suas descendentes.


As integrantes da União e demais mulheres devem ter em mente que se são belas e puras no cultural e moral, o país alcança um alto grau de civilização, as famílias e a sociedade se mantêm saudáveis e se assegura um futuro resplandecente.


Lhes compete seguir mantendo nosso próprio modo de vida e ambiente moral e os belos costumes próprios da nação.


Preferirão os trajes tradicionais chima e jogori, se vestirão e se arrumarão com nobreza e refinamento a conforme o gosto estético da época, organizarão meticulosamente a vida econômica e lograrão que em todos os aspectos da vida se percebam nossos gostos e aromas e prevaleçam os sentimentos nacionais.


Sempre arrumarão de maneira culta e limpa seus próprios lares e as áreas urbanas e rurais onde vivem e se acostumarão com a poupança. As organizações femininas devem tomar o movimento pelo bairro e unidade de vizinhos fiéis com a bandeira vermelha 11 de julho e o movimento pela criação da família exemplar na cultura da vida socialista não como um trabalho puramente administrativo, mas como um processo em que se eleva o nível cultural das mulheres e se forma nelas o amor à terra-natal, à família e ao futuro e o espírito de diligência, a moderação e a poupança.


A cortesia, a boa conduta, aportar à harmonia familiar, ajudar ao próximo e dar-se bem com os vizinhos são qualidades excepcionais da mulher coreana.


As organizações da União devem pôr grande empenho em fomentar os belos traços morais das coreanas e promover suas virtudes.


Farão com que suas nobres virtudes humanas se manifestem cabalmente no respeito aos predecessores da revolução, aos professores e pessoas mais velhas e na observação meticulosa da ética na fala, o intercâmbio de saudações e a cortesia pública.


As integrantes da União e demais mulheres devem avançar mão a mão a um futuro luminoso mantendo no alto o lema comunista "Um por todos e todos por um!", síntese das qualidades espirituais e morais da sociedade. Devem considerar como uma virtude consagrar-se para o próximo, assumir como próprios a alegria e o sofrimento alheios, apoiar, ajudar e conduzir mutuamente e lograr que as relações humanas sustentadas na virtude e no afeto se arraiguem em nossa sociedade como firme base moral.


Apreciarão a família, célula da sociedade, e lograrão que nela prevaleça a felicidade


Ninguém pode substituí-las no papel de respaldar os esposos a que sejam fiéis ao Partido e à revolução, formar os filhos como dignos trabalhadores da Coreia socialista e levar harmonia e felicidade ao lar.


Apesar da escassez na economia familiar, em todo momento serão conscientes de sua responsabilidade como responsáveis dos afazeres domésticos, noras, esposas e mães, tratarão bem os sogros e ajudarão com devoção os esposos e filhos para que cumpram impecavelmente seus deveres ante ao Estado e a sociedade.


Quando todas elas se convertem em noras carinhosas, esposas amadas, mães atentas e vizinhas generosas, nossa sociedade se encherá sempre de vitalidade e ânimo e nosso Estado terá maior força.


Às organizações femininas corresponde estabelecer entre suas membros um ambiente revolucionário de vida culta e sentimental, para que levem uma vida otimista e de ricos sentimentos. De acordo com a psicologia das mulheres coreanas possuidoras de profundos sentimentos e amantes da arte, devem organizar diversas atividades culturais de massas, entre outras a difusão de canções, a dança coletiva, a leitura de obras literárias e artísticas e o recital. Também devem realizar periodicamente os jogos esportivos e recreativos que concordem com a constituição física e outras características da mulher. Desta maneira, lograrão que na sociedade ressoem os risos das mulheres e se respire um ar alegre e otimista e que por toda parte predomine o otimismo.


Às organizações femininas compete intensificar a luta contra os fenômenos não socialistas e antissocialistas. Explicarão bem a seus membros que essas ideias são uma má erva que semeia a desgraça no berço da felicidade e tumor maligno que atenta contra a vida e o futuro delas próprias, de suas famílias e descendentes, até o ponto que qualquer um os deteste e os condene. Longe de considerar como alheias tais manifestações que afloram em suas proximidades e fazer vista grossa, as tomarão como assuntos relacionados com o destino de nosso socialismo e que decidem a vida ou a morte de si mesma e de seus descendentes, as combaterão sem demora e de forma intransigente, por mais insignificantes que sejam. Em sua condição de protetoras da vida política de seus membros, compete alertá-las oportunamente contra as tendências estranhas em distintos aspectos da vida como a vestimenta e a fala, assim como arrancá-las pela raiz através da intensa educação e da batalha ideológicas.


Terceiro, as organizações da União devem mobilizar energicamente todas suas integrantes ao dignificante trabalho patriótico que enaltece a era de dar primazia ao nosso Estado.


Seus membros realizarão distintas atividades de motivação em importantes setores e centros de produção onde se esforçam com ousadia para implementar as resoluções do Congresso do Partido.


Com canções revolucionárias e enérgicas arengas estimularão o ânimo dos trabalhadores, os ajudarão no trabalho e nos recessos os alentarão com distintos serviços às proezas de criação e à produtividade.


É necessário induzi-las a aportar seus suores e esforços sinceros à construção de uma pátria rica poderosa.


Devem canalizar as atividades da brigada de choque feminina a acondicionar as cidades e terras-natais como lugares modelos e ideias, epítomes da civilização socialista, e a oferecer ajuda laboral a fábricas, empresas e fazendas cooperativas das respectivas regiões, assim como transplantar uma das árvores e gramas com a imaculada consciência e genuíno patriotismo.


Conscientes de seu deve civil e com amor à pátria, se mobilizarão como um só no movimento pelos trabalhos úteis para a sociedade.


Às organizações femininas e seus membros corresponde promover movimentos como a criação de bichos-da-seda e coelhos e realizar em qualquer lugar mais trabalhos que beneficiem o país em correspondência com as peculiaridades e as condições reais das regiões respectivas.


Jamais menosprezarão a reciclagem de materiais ociosos, a tomarão como trabalho patriótico encaminhado a ampliar o patrimônio nacional e o realizarão ativamente.


Se esmerarão na generalização das experiências positivas adquiridas no movimento pelos trabalhos úteis e fomentarão a emulação para aprender e superar umas às outras.


As integrantes da União nos setores comercial e de serviços, conscientes de seu dever de servidoras fiéis ao povo, se ocuparão de oferecer mais ao povo empenhado em materializar as resoluções do Congresso do Partido e servir-lhes com maior atenção e amabilidade para que não tenha nenhum incômodo.


Se as mulheres se incorporam em equipes de trabalho de donas de casa, isso contribui a melhorar a vida da população, ajuda a economia doméstica e promove o coletivismo.


Nas províncias, cidades e condados organizarão racionalmente e conforme à situação real de cada qual uma grande variedade de tais equipes que ajudem a incrementar a produção de artigos de consumo e ao conforto do povo, incorporaram a elas as donas de casa e as colocarão em pleno funcionamento.


Às organizações da União compete intensificar a educação e o controle entre seus membros para prevenir a errônea tendência e a manifestação egoísta daquelas que se inscrevem nas referidas equipes, porém na realidade não participam na produção, de maneira que aportem substancialmente a criar bens sociais com seu trabalho laborioso.


Às organizações da União compete trabalhar escrupulosamente para incorporar ativamente à sociedade seus membros em idades aptas para o trabalho.


Seu objetivo fundamental é formá-las como trabalhadoras patrióticas que amam o país e o povo.


Em nosso país são muitas as mulheres que trabalham caladas em seus postos, sem esperar nenhum reconhecimento ou honra, e se esforçam de todo o coração pelo Partido, pátria e povo. Ninguém nos oferecerá a felicidade. Somente quando todos se empenhem com devoção pela criação de nosso futuro e vida se tornarão mais ricas e belas.


As organizações femininas orientação seus membros a seguir o exemplo das que abandonaram suas queridas terras-natais para ser professoras de escolas ou sucursais em aldeias montanhosas afastadas ou em ilhas e das protagonistas de belos gestos que levam uma vida digna ao assumir trabalhos pesados como as atividades agrícolas em resposta ao chamado do Partido. Ao explicar-lhes que com sua incorporação à sociedade podem corresponder com fidelidade e patriotismo à solicitude do Partido e da pátria que as formou e assegurar um futuro feliz para elas e seus descendentes, as induzirão a acudir voluntariamente aos honrosos postos da construção socialista.


Dadas das diferentes trajetórias, gostos e níveis de conhecimentos das mulheres, é importante trabalhar com métodos apropriados para as integrar na sociedade.


As organizações femininas, conhecedoras dos aspectos e qualidades positivos, dos gostos e da capacidade de seus membros, estreitarão os vínculos com as entidades correspondentes para que se estabeleçam em postos adequados. À medida que se ativa a incorporação das mulheres na sociedade, as unidades correspondentes se empenharão com escrupulosidade para criar-lhes óptimas condições de trabalho e vida.


Às organizações da União corresponde fomentar entre seus membros a ajuda ao Exército Popular.


Tendo em mente a todo momento a confiança do Partido que exalta as esposas dos militares como "irmãs mais velhas" do Partido e "cozinheiras" do Comando Supremo, elas cumprirão impecavelmente seu papel de auxiliadoras de seus esposos que levam o fuzil na mão e atenderam à vida dos soldados com o mesmo carinho que tratariam suas cunhadas e irmãs mais velhas.


os membros da União e demais mulheres escreverão cartas de afeto e estímulo e ajudarão com toda sinceridade os militares que realizam méritos nos postos de defesa da pátria e nas obras da construção socialista, assim como prestarão profunda atenção e cuidarão com devoção dos veteranos de guerra, dos licenciados inválidos e dos familiares dos caídos em combates ou dos que seguem defendendo a pátria.


Quarto, as organizações da União procurarão que seus membros se entreguem de corpo e alma à educação e formação de seus filhos como revolucionários.


Há um ditado que diz: Por trás de cada homem excelente há uma excelente mãe. A formação do filho depende em grande medida do papel que a mãe desempenha.


As integrantes da União e demais mulheres não devem esquecer que educar corretamente seus filhos não é um simples assunto relativo à continuidade da linhagem de uma família, mas a tarefa mais sublime consistente em preparar os futuros continuadores da revolução. Não serão negligentes em sua educação pensando com despreocupação que nada de ruim pode vir a ocorrer porque o Estado se encarrega dela, mas constantemente prestarão profunda atenção ao crescimento e desenvolvimento dos filhos.


Devem ensiná-los desde a infância sobre a benevolência do Partido e o sistema socialista, lhes inculcar o amor ao país e os ensinar a respeitar os pais, os mais velhos e os professores, amar o coletivo e os camaradas, preferir as coisas de nossa nação e odiar a injustiça, de maneira que procedam com retidão em qualquer momento e lugar. Particularmente os jovens e crianças, muito curiosos e sensíveis ao novo, devem os educar bem e conduzir a dar corretamente os primeiros passos sem contagiar-se com estranhas ideologias, culturas e modo de vida.


Conscientes de que cada palavra e atitude dos pais se refletem na mente dos filhos como no espelho, lhes darão um bom exemplo em todos os momentos da vida e conversarão profundamente com eles de modo que aprendam a colocar o país e o povo acima da família.


Como diz o ditado: Criança mimada, criança estragada; não serão indulgentes no trato com os filhos, mas serão sempre muito exigentes e os guiarão por um bom caminho para que cresçam robustamente como genuínos filhos da pátria.


Na condição de mães, todas devem incitar os filhos a que acudam resolutamente aos setores difíceis da economia e aos sagrados postos de defesa da pátria para glorificar a juventude, em total resposta ao chamado da época.


Gravarão no fundo do coração o nobre e ardente amor das mães da passada Guerra da Libertação da Pátria que, sem nenhuma hesitação, enviaram seus preciosos filhos aos campos de batalha e a outros lugares perigosos para a defesa da pátria.


Aproveitando diversos meios como o Dia da Educação dos Filhos, as organizações da União divulgarão temas relacionados com a educação familiar, enaltecerão as mulheres que formaram bem seus filhos e os alistaram no exército, e as que educam e ajudam bem seus filhos para que sejam exemplares no estudo e na vida orgânica e cumpram os deveres revolucionários com o esforço sincero, assim como realizarão com escrupulosidade o trabalho de aprender com elas.


Dar à luz e criar vários filhos é um assunto de capital importância que decide o destino do país e o futuro da nação. As mulheres o considerarão como um afazer honroso que favorece o país e a nação e como demonstração de patriotismo. Devemos estabelecer na sociedade o ambiente de ajudar bem e dar tratos preferencias às mães de vários filhos e afiançar as medidas de abastecimento a nível estatal.


Oferecer a nossas crianças as ótimas condições de criação constitui a política de suma importância e o desejo supremo de nossos Partido e Estado.


A União das Mulheres, tendo em mente o propósito do Partido que tomou as medidas especiais para a infância na III Reunião Plenária de seu VIII Comitê Central, prestará atenções extraordinárias a melhorar os afazeres das creches e jardins de infância e a que as cuidadoras e educadoras cuidem das crianças com amor e ternura materna.


É indispensável elevar por todos os meios a combatividade das organizações femininas para que a União Socialista das Mulheres cumpra devidamente com sua missão histórica e dever assumidos ante a época e a revolução.


O importante é centrar as forças nos assuntos internos.


Às organizações femininas cujo grosso integram as donas de casa se presenta como assunto de maior importância intensificar a direção sobre a vida orgânica e ideológica de seus membros.


A União das Mulheres erradicará a tendência a pôr ênfase somente nos trabalhos de brigada de choque ou guarda de ordem pública e de cumprimento das tarefas econômicas, e se concentrará na organização e direção das atividades da União de seus membros.


As organizações femininas estabelecerão entre suas integrantes um ambiente rigoroso de tratar com respeito as organizações a que pertencem e observar estritamente a disciplina organizativa. Lhes imbuirão a consciência de que podem unir-se com o Partido e dar validez à vida política somente através das organizações, de modo que todos seus membros elevem o conceito de organização, tomem com respeito as resoluções das organizações e as cumpram com sinceridade e infalivelmente.


Intensificarão o sobre o estatuto da União para que todas suas integrantes levam a vida na organização estritamente segundo o estatuto e as regras.


Realizarão as reuniões gerais regulares e o balanço da vida da União invariavelmente nos dias fixados, elevarão o nível político e ideológico delas e especialmente farão balanço do processo de superação e formação ideológicas em que os membros reconhecem os erros, tomam consciência deles e os corrigem no ambiente de intensas críticas.


Darão a cada membro as tarefas conforme a suas características e lhes ajudarão a cumpri-las de forma infalível para que o processo de seu cumprimento sirva de motivo importante em formá-las ideologicamente, fortalecer as organizações e fazer aporte ao desenvolvimento social.


Às organizações femininas compete pôr em funcionamento eficiente o sistema de propaganda e motivação educativo estabelecido em seu seio, ajustar e reforçar suas forças e intensificar de forma ininterrupta a educação ideológica para não deixar vazio na ideologia de suas integrantes.


O realizarão de forma nova e original e com diversos métodos de grande eficácia. Não devem fazer de maneira a transmitir os dados distribuídos de organizações superiores ou encher o número de vezes. Conforme às características das mulheres, a realizarão pela apresentação de peças artísticas ou de conversações explicativas, organizarão reuniões como publicação e debates, em combinação com diversos métodos como a multimídia para que cada vez que seja realizado, o trabalho ideológico emocione o coração do público.


Na realização da educação ideológica há que eliminar as tendências a exagerar e camuflar a realidade e elogiar a si mesmo. Devem fazê-la diretamente com os dados reais para que os membros da União possam crer e simpatizar por si mesmas e compreender corretamente a vontade do Partido.


A combatividade da União é precisamente a das organizações de base. Ao fortalecer-se estas, se robustece aquela, e ao dinamizar suas atividades se anima toda a União.


O elo-chave para o fortalecimento das organizações base está em elevar o nível profissional das dirigentes de base. Com a falta de capacidade profissional não podem conduzir devidamente as organizações de base por mais firme e elevada que sejam a decisão e o entusiasmo.


É importante organizar com eficiência o Dia das Dirigentes das Organizações de Base e elevar-lhes o nível profissional e de preparação por diversas formas e métodos como cursos, apresentações de experiências e consultas.


As funcionárias da União no centro, províncias, cidades e condados baixarão de forma planejada e regular às organizações de base para ajudá-las substancialmente ensinando os métodos de organizar e dirigir a vida na União e resolvendo seus problemas pendentes.


O problema importante que se apresenta atualmente em fortalecer as organizações de base é tomar com acerto o controle de suas filas e melhorar o sistema de direção da vida na União conforme às demandas reais. Ao Comitê Central da União compete estudar e conhecer bem a situação atual das organizações de base, tomar medidas racionais para a solução do problema de pertencimento e composição de suas organizações destinada a fortalecer a organização e direção da vida na União dos membros e resolver com urgência o problema das mulheres afastadas da vida orgânica e não pertencentes à organização em todas suas filas. Ademais, reajustarão o sistema de órgãos e de trabalho de seus comitês nas cidades, condados e nas primárias para assegurar a organização e direção da vida orgânica e ideológica dos membros.


À União compete impulsionar com vigor o Movimento pelo Comitê Primário Exemplar de Fidelidade da União das Mulheres e o Movimento pela Organização de Base de Fidelidade da União das Mulheres pondo ênfase em fortalecer a combatividade destas. E devem esmerar-se no trabalho destinado a criar as organizações modelo e generalizar suas experiências para fazer de todas suas organizações de base organizações fiéis ao Partido, unidas compactamente como camaradas e de grande poder para que cumpram com responsabilidade qualquer tarefa.


A chave para incrementar a capacidade de combate das organizações da União é intensificar o trabalho com seus membros.


O poderio das organizações é precisamente a força unida de suas integrantes e sua capacidade de combate se duplica quando logra agrupá-las firmemente em torno a ela e mover seus corações.


À União compete traçar de maneira correta o rumo de seus trabalhos de modo que as dirigentes prestem primordial atenção ao trabalho com seus membros.


Este é um trabalho com suas almas e com seus sentimentos. Abrirão seus corações, lerão seus pensamentos mais íntimos, conhecerão suas dores mentais e assim poderão realizar bem o trabalho com as pessoas.


Para tal efeito, as dirigentes da União devem melhorar primeiramente o método e estilo de trabalho. Não podem contar com o apoio das massas se não são sinceras com elas, pensam que tudo se resolve com exigência e controle, se dão ar de importância e trabalham com imposições. Tanto as dirigentes como os simples membros da União são todas filhas de nosso Partido. Se as primeiras tem algo especial, é a confiança depositada nelas pelo Partido e suas organizações. E jamais devem esquecer que é da confiança e recomendação políticas do Partido que se amparam a suas integrantes com afeto maternal e as formam como dignas revolucionárias.


Lhes compete trabalhar com ardente humanidade mantendo seus princípios de forma consequente.


Agora que entre as integrantes da União não poucas sofrem dificuldades na vida familiar, devem entender-se e guiar-se com prudência e humanidade. Se animam e estimulam as padecem e têm dificuldades e as tratam com devoção como se fossem suas próprias irmãs, elas abrirão seus corações a suas organizações e as seguirão com toda sinceridade.


Ademais, colocarão grande empenho no trabalho com suas integrantes exemplares e mais ativas, de maneira que cada uma delas eduque e guie outras dez ou cem membros, assegurando assim a unidade de ideia e vontade das filas da União.


Com vista a trabalhar bem com seus membros, devem possuir amplos conhecimentos. Serão mais sensíveis às ideias do Partido e versadas nas linhas e políticas do Partido, e se empenharão em possuir mais conhecimentos e ter uma grande cultura.


Às organizações partidárias a todos níveis compete conceder grande importância ao trabalho da União, prestar-lhe atenção de forma constante e dirigi-la bem.


Lhes compete dirigir de modo eficiente as organizações femininas, de maneira que determinem corretamente o rumo de trabalho em consonância com o propósito do Partido e realizem de modo ativo suas atividades conforme às peculiaridades das integrantes e, em particular, pôr grande empenho em promover sua independência e criatividade.


Se informarão regularmente das atividades das organizações da União, resolverão a tempo os problemas que enfrentam, e as conduzirão a que se mantenham em constante movimento e desempenhem satisfatoriamente seu papel.


As organizações do Partido e os órgãos do Poder se concentrarão para não cair em erros como designar tarefas sociais às organizações femininas em suas regiões correspondentes e as impor sobrecargas considerando as mulheres como mão de obra adicional.


Dirigirão grande esforço a estruturar as filas de quadros da União com as desmobilizadas do Exército e outras que são fiéis ao Partido, possuem nobres traços, desfrutam de popularidade e têm grande afã de trabalho, assim como melhorar suas qualificações.


Respeitar as mulheres é uma bela virtude dos comunistas e um dos principais índices do nível de civilização de uma sociedade. As organizações do Partido devem implantar em toda a sociedade o ambiente de amar, honrar e ajudar as mulheres, e trabalhar para que as medidas adotadas a favor das mulheres sejam executadas cabalmente.


Hoje, a nova era de auge e mudanças de nossa revolução requer que todas as integrantes da União impulsionem energicamente a grandiosa transformação da época com o espírito indomável e a abnegação patriótica, atributos próprios da mulher coreana.


Estou firmemente convencido de que ao melhorar de maneira substancial seus trabalhos de acordo com a exigência da revolução em desenvolvimento, as participantes neste Congresso e as organizações da União das Mulheres aglutinarão mais firmemente suas integrantes em torno ao Partido, as convocarão energicamente à construção socialista e manifestarão sem reserva o poderio da União.


Mensagem de Kim Jong Un enviada no último dia 20 de junho às participantes do VII Congresso da União Socialista das Mulheres da Coreia


Tradução do A Voz do Povo de 1945