1/10

"A amizade entre Kim Il Sung e Fidel Castro"



A versão em espanhol de Prensa Latina, no dia 7 de março de 2021, destacou os 35 anos da visita de Fidel Castro ao país socialista asiático. De acordo com a Prensa Latina: “Transcorreram 35 anos do encontro entre o Comandante em Chefe da Revolução cubana e o Grande Líder coreano, o qual definiu para sempre o carinho e empatia entre dois processos revolucionários com particularidades diferentes e iguais propósitos.”

Antes da visita de Fidel Castro à Pyongyang, Coreia e Cuba socialistas já mantinham relações diplomáticas, que foram estabelecidas em agosto de 1960 e culminaram na visita de Ernesto Che Guevara ao país. Na ocasião, Ernesto Che Guevara avaliou positivamente o processo de construção do socialismo na República Popular Democrática da Coreia, afirmando abertamente que foi justamente a Coreia Popular o país que havia lhe provocado a melhor impressão entre os países socialistas havia visitado. Ernesto Che Guevara também avaliou de maneira extremamente positiva a figura do líder Kim Il Sung.

De acordo com o artigo publicado na Prensa Latina, Fidel Castro e Kim Il Sung desenvolveram laços de empatia desde o momento do triunfo da Revolução Cubana em 1959, revolução esta que foi efusivamente saudada por Kim Il Sung e pelo Partido do Trabalho da Coreia. O jornal Minju Joson destacou que a visita de Fidel Castro à República Popular Democrática da Coreia foi uma das visitas mais importantes realizadas por um líder mundial no século XX, o que revela a alta consideração dos comunistas coreanos pela figura de Fidel Castro.


Quando esteve na Coreia Popular, Fidel Castro defendeu abertamente o princípio de reunificação pacífica da península coreana, destacando que “Cuba sustenta firmemente que só existe uma Coreia”. Fidel ainda destacou que “os dirigentes e o povo coreano