1/10

"A luta anti-imperialista de Farabundo Martí"



No dia 1º de fevereiro se registra 89 anos do assassinato do revolucionário salvadorenho Agustín Farabundo Martí (1893-1932), um homem que dedicou sua vida à luta internacional pelo socialismo. O revolucionário salvadorenho lutou pelos direitos dos despossuídos e dedicou sua vida à luta pelo socialismo na América Latina.


Ele foi um ferrenho opositor do regime oligárquico da América Latina no início do século XX, quando a cafeicultura avançava em detrimento dos direitos dos camponeses e das comunidades indígenas.


Seu legado anti-imperialista e socialista foi assumido pela esquerda salvadorenha que lutou contra sucessivas ditaduras. Também está em vigor nos movimentos e organizações sociais que defendem a unidade dos povos e se opõem à ingerência imperialista na América Latina.


Em 1980 cinco estruturas políticas deram vida à Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN): o Partido Comunista de El Salvador (PCS), as Forças Populares de Libertação "Farabundo Martí" (FPL), o Exército Popular Revolucionário (ERP), o Nacional R