1/10

"A luta anti-imperialista de Farabundo Martí"



No dia 1º de fevereiro se registra 89 anos do assassinato do revolucionário salvadorenho Agustín Farabundo Martí (1893-1932), um homem que dedicou sua vida à luta internacional pelo socialismo. O revolucionário salvadorenho lutou pelos direitos dos despossuídos e dedicou sua vida à luta pelo socialismo na América Latina.


Ele foi um ferrenho opositor do regime oligárquico da América Latina no início do século XX, quando a cafeicultura avançava em detrimento dos direitos dos camponeses e das comunidades indígenas.


Seu legado anti-imperialista e socialista foi assumido pela esquerda salvadorenha que lutou contra sucessivas ditaduras. Também está em vigor nos movimentos e organizações sociais que defendem a unidade dos povos e se opõem à ingerência imperialista na América Latina.


Em 1980 cinco estruturas políticas deram vida à Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN): o Partido Comunista de El Salvador (PCS), as Forças Populares de Libertação "Farabundo Martí" (FPL), o Exército Popular Revolucionário (ERP), o Nacional Resistência (RN) e o Partido Revolucionário dos Trabalhadores da América Central (PRTC).


A FMLN foi fundada como partido político em setembro de 1992, após a assinatura dos Acordos de Paz que encerraram sessenta anos de ditadura militar, e ocupou o Governo de El Salvador nos períodos 2009-2014 e 2014-2019.


A luta de Farabundo Martí contra o imperialismo


Martí dedicou sua vida ao combate às injustiças. Ele participou do processo organizacional de várias organizações de trabalhadores e camponeses.


Entre 1920 e 1932 - data de sua execução - ele foi preso seis vezes e teve que viver no exílio.


Em 1925 participou da fundação do Partido Comunista Centro-Americano na Guatemala e três anos depois ingressou na Liga Anti-imperialista como representante de Augusto César Sandino, com quem lutou na guerra de libertação da Nicarágua contra a invasão norte-americana.


Ele também liderou o Partido Comunista em El Salvador, em um contexto de crise do capitalismo mundial.


Agustín Farabundo Martí foi baleado em 1º de fevereiro de 1932, junto com os líderes estudantis Alfonso Luna e Mario Zapata, pela ditadura de Maximiliano Martínez.


Do TeleSur

33 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
JORNAL-BANNER.png
WHATSAPP-CANAL.png
TELEGRAM-CANAL.png