1/10

Lenin: "Carta a um Camarada"


Caro camarada! Atendo com satisfação o pedido de crítica ao seu projeto de "Organização do Partido Revolucionário de São Petersburgo". (Você pensava, provavelmente, na organização do trabalho do POSDR em São Petersburgo). A questão por você levantada é de tal importância que deveriam discutí-la também todos os membros do comitê de São Petersburgo e, inclusive, todos os social-democratas russos em geral. Primeiramente assinalarei minha completa concordância com sua explicação sobre a inutilidade da organização anterior da "União" ("de círculos" como a denomina). Você chama a atenção para a ausência de uma séria preparação e de uma educação revolucionária entre os operários de vanguarda, para o assim chamado sistema eleitoral tão orgulhosa e veementemente defendido pelos membros do Rabotchéie Diélo em nome dos princípios "democráticos" e, a alienação dos operários de todo trabalho ativo. Trata-se exatamente disso: 1) a ausência de uma preparação séria e de uma educação revolucionária (não somente entre os operários, como também entre os intelectuais); 2) a utilização inadequada e excessiva do princípio eleitoral; e 3) o afastamento dos operários da verdadeira atividade revolucionária. Nesse ponto, encontra-se o principal defeito, não somente da organização em São Petersburgo, mas também de muitas outras organizações locais de nosso partido. Concordando plenamente com sua concepção fundamental sobre as tarefas organizativas, uno-me também ao seu projeto de organização, na medida em que sua carta explica os traços fundamentais desse projeto. Estou de pleno acordo com você quando diz que devemos assinalar principalmente as tarefas a nível de toda a Rússia e de todo o partido em geral. Isso se expressa no primeiro ponto de seu projeto que diz: "O centro dirigente do partido (e não apenas de um comitê ou de uma região) é o jornal Iskra, que possui correspondentes permanentes entre os operários e está estreitamente ligado com o trabalho interno da organização". Eu só faria uma ressalva, a de que o jornal pode e deve ser o dirigente ideológico do partido, desenvolvendo as verdades teóricas, as situações táticas, as ideias organizacionais gerais, as tarefas gerais de todo o partido, neste ou naquele momento. Quanto ao dirigente prático direto do movimento, somente pode ser um grupo central especial (chamemo-lo até mesmo de Comitê Central), que se relacione pessoalmente com todos os comitês, que integre em seu seio as melhores forças revolucionárias de todos os social-democratas russos e comande todos os assuntos partidários: a distribuição da literatura, a edição de panfletos, a distribuição das forças, a nomeação de pessoas e grupos para a direção de empreendimentos especiais, a preparação de manifestações de caráter nacional e também da insurreição em toda a Rússia, etc. Frente a necessidade de manter o mais rigoroso caráter conspirativo e assegurar a continuid