1/10

Hampton: "É uma luta de Classes, porra!"


O que nós vamos tentar, é que vamos tentar praguejar e educar. Nós estamos felizes de tentar acrescentar mais alguma informação. E isso será algo difícil de fazer. A irmã fez um belo discurso até onde eu sei. Chaka, o Vice-Ministro de Informação, esse é seu trabalho – informação. Mas eu vou tentar informar vocês também.

Uma coisa que Chaka se esqueceu de informar: que irmãos e irmãs não fazem exatamente o mesmo. Nós não pedimos a qualquer irmão para engravidar ou coisa assim. Não pedimos a nenhum dos irmãos para que tenham bebês. Então isso é um pouco diferente também.

Depois que nós terminarmos de falar, para aquelas pessoas entre vocês que não acham que entenderam toda a ideologia exposta aqui até então, e as ideologias que irei expor, nós teremos uma sessão de perguntas e respostas. Para aquelas pessoas que têm seus sentimentos feridos por negros falando sobre armas, nós teremos sessão de choro depois da sessão de perguntas e respostas. E para aquelas pessoas brancas que estão aqui para mostrar algum tipo de grande manifestação de síndrome de culpa, e querem que as pessoas clamem seu amor por elas depois da sessão de choro, se nós tivermos tempo, nós permitiremos a todos vocês ter uma sessão de amor.

Então agora vamos ao que interessa. Em primeiro lugar, sobre o que algumas pessoas chamam de julgamento. Nós o chamamos uma hecatombe, nós o chamamos uma hecatombe. Que se soletra h-e-c-a-t-o-m-b-e. E eu sei que há dicionários suficientes circulando por aqui que provavelmente encheriam toda a sala, então vocês podem conferir isso. Isso significa um sacrifício. Isso geralmente significa um sacrifício de um animal. Então nós gostaríamos que vocês, se vocês viessem a gostar de fazê-lo, se as pessoas perguntarem: “vocês já estiveram no julgamento”, contem que vocês viram ou ouviram sobre a hecatombe, porque é isso que ele é. É um sacrifício público. É uma situação onde estão julgando injustamente, julgam ilegalmente nosso presidente.

Nós encaramos isso como uma manifestação de 1969 da Decisão de Dred Scott. Nós olhamos para o Presidente Bobby como sendo a manifestação de Dred Scott de 1857. E nós olhamos para o Juiz Hoffman como sendo uma manifestação do Juiz Taney em 1857. Porque em 1857 Dred Scott era um negro, um ex-escravo – era ainda um escravo, porque nós somos escravos – que foi à corte e evidentemente teve algum tipo de mal-entendido sobre o que ele era na sociedade americana, onde se encaixava.

Então ele foi à Suprema Corte para que o juiz Taney respondesse a ele e tentando esclarecer algumas ideias equivocadas que tivera rodando em volta de sua velha cabeça. E o juiz Taney fez exatamente isso. O juiz Taney explicou muito claramente que, “negro, você não é ninguém, você é uma propriedade, você é um escravo. Que os sistemas – o sistema legal, o sistema judicial – todos os tipos de sistemas que estão operando na América hoje foram estabelecidos muito antes de você chegar aqui, irmão. Porque nós aliciamos você para ganhar dinheiro para manter o que nós temos em funcionamento, esses avarentos, gananciosos homens de negócios, para manter o que nós temos funcionando, e funcionando”.

E Dred Scott não conseguiu entender isso. Houve uma grande rejeição. E naquela época, o juiz Taney fez uma declaração que se tornou famosa. E a declaração, talvez não nas mesmas palavras; mas através de ações e através de prática social, está sendo manifesta agora no novo Edifício Reigstag em Jackson e Dearborn. Está se manifestando através do juiz Hoffman dizendo a mesma coisa que o juiz Taney disse em 1857. Quando ele contou a Dred Scott que “negro, um homem preto na América não possui nenhum direito que um homem branco seja obrigado a respeitar”. E essa é a mesma coisa que o juiz Hoffman está contando a nosso presidente todo o dia.

E nós entendemos. Vocês sabem, muitas pessoas se irritam com o Partido porque fala sobre a luta de classes. E as pessoas que se irritam com isso são oportunistas, covardes e individualistas e tudo que são é qualquer coisa menos revolucionários. E usam essas coisas como desculpas para justificar e invocar um álibi e para bonificar sua falta de participação na luta revolucionária real. Então dizem, “bem, eu não posso entrar no Black Panther Party porque os Panteras estão ocupados em trabalhar com radicais do país opressor, ou pessoas brancas, ou bonitões ou o que quer que seja. Eles dizem que isso são algumas das desculpas que eu uso para negar realmente porque não estou na luta”.

Nós temos bastante respostas para essas pessoas. Primeiramente, nós dizemos primariamente que a prioridade dessa luta é a classe. Que Marx e Lenin, Che e Mao Tsé-tung e todo o resto que já disseram ou conheceu ou praticou alguma coisa sobre revolução, sempre disse que a revolução é uma luta de classes. Havia uma classe – a oprimida – e aquela outra classe – a opressora. E isso tem de ser um fato universal. Aqueles que não admitem isso são aqueles que não querem se envolver na revolução, porque sabem que enquanto estão lidando com coisas raciais, nunca estarão envolvidos na revolução. Eles podem falar sobre números, podem pendurar você em muitos, muitos meios, mas assim que você começar a falar sobre classe, então você tem que começar a falar de armas. E isso é o que o Partido tinha que fazer.

Quando o Partido começou a falar sobre luta de classes, nós achamos que tínhamos que falar sobre algumas armas. Se nós nunca negamos o fato de que havia racismo na América, mas dissemos que quando você, o subproduto, o que sai do racismo, que o capitalismo vem primeiro e depois vem o racismo. Que quando eles trouxeram escravos até aqui, o fizeram para ganhar dinheiro. Então a primeira ideia a surgir foi que nós queremos ganhar dinheiro, então os escravos vieram com o objetivo de gerar aquele dinheiro. Isso significa que, através de um fato histórico, o racismo tinha que vir do capitalismo. Tinha que ser o capitalismo primeiro e o racismo foi um subproduto daquilo.

Qualquer um que não admita que está mostrando através da sua não admissão e da sua não participação na luta, são pessoas que falham em estabelecer um compromisso; e a única coisa que procuram conseguir para eles é a educação que recebem nessas instituições – educação o suficiente para ensiná-los alguns álibis e ensiná-los que você tem que ser negro, e você tem que mudar o seu nome. E isso é maluco.

O ministro da educação do Partido, Raymond “Masai” Hewitt, e o Chefe de Gabinete, David Hilliard, há pouco voltaram da África visitando Eldridge Cleaver. E disseram que os negros lá nunca usarão o tipo de traje que alguns desses tolos africanizados usam por aqui. Eles estão usando andrajos ou senão usando nada. E se vocês querem se vestir como algumas pessoas africanas, então vocês têm que se vestir como os angolanos ou o povo do Moçambique. Esses são povos que estão fazendo alguma coisa. Vocês precisam se vestir como os povos que estão em lutas de libertação. Mas não, vocês não querem se tornar africanizados assim, porque assim que vocês se vestirem como alguém de Angola ou Moçambique, então depois de vocês vestirem o que quer seja que vistam, e isso pode ser qualquer coisa dos andrajos a alguma coisa da quinta Avenida Saks, vocês têm que colocar algumas bandoleiras e algumas AR-15 e alguns 38; vocês têm de vestir algumas Smith and Wessons e algumas Colts 45, porque é isso que estão usando em Moçambique. E qualquer negro por aqui dizendo para vocês que quando o seu cabelo está longo e vocês estão vestindo um dashiki, e vocês tem bubus e todas essas sandálias, e todas essas formas de ação, então vocês são revolucionários, e qualquer um que não pareça com vocês, não o é – aquele homem tem de sair de sua cabeça.

Porque nós sabemos que o poder político não flui da manga de um dashiki. Nós sabemos que o poder político nasce da ponta do fuzil. E isso é verdade. E isso tem que ser verdade. Nós sabemos que para sermos capazes de falar sobre o poder, que o que você tem de ser capaz de falar sobre é a habilidade de controlar e definir o fenômeno e fazê-lo agir de maneira desejada. Isso significa que se você não consegue controlar e definir um fenômeno e fazê-lo agir da maneira desejada, então você não tem mesmo quaisquer relações com o poder, você não sabe e provavelmente nunca saberá o que o poder é. E nós sabemos o que o poder é, e nós sabemos quem está fazendo mal ao povo – o inimigo.

E todo mundo quer falar sobre... os costeletas de porco contarão a você em um minuto. “Os porcos não querem que você fique negro. Eles não querem você tenha nenhum dos programas de estudos negros. Eles não querem que você use dashikis. Não querem que você aprenda sobre a terra natal e quais raízes comer do solo. Eles não querem isso porque assim que você tiver isso, assim que você voltar à cultura do século XI, você ficará bem”.

Confira as pessoas que voltaram à cultura do século XI. Confira as pessoas que estão usando dashikis e bubus e pense que isso vai libertá-las. Confira todas essas pessoas, perceba onde estão localizadas, encontre os endereços dos seus escritórios, escreva-as uma carta e pergunte-as se no ano passado quantas vezes o escritório delas foi atacado. E então escreva a qualquer Black Panther Party, em qualquer lugar dos Estados Unidos, qualquer um na Babilônia, e pergunte-os como muitas vezes os porcos a atacaram. Então você vai fazer sua estimativa de ambos, e descobrirá do que os porcos não gostam. É nesse momento que você descobre do que os porcos não gostam.

Nós fomos atacados três vezes desde junho. Nós sabemos do que os porcos não gostam. Temos pessoas fugindo do país às centenas. Nosso Ministro da defesa está na cadeia, nosso Presidente está na cadeia, nosso Ministro da Informação está exilado, nosso Tesoureiro, o primeiro membro do Partido, está morto. O Vice-Ministro da Defesa e Vice-Ministro da Informação, Alprentice Bunchy Carter, e John Huggins do Sul da Califórnia, assassinados por costeletas de porco, falando sobre um programa BSU. Sabemos do que os porcos não gostam.

Nós dissemos que ninguém atiraria em um Pantera exceto um porco, porque os Panteras não colocam em risco a ninguém exceto os porcos. E se as pessoas disserem a vocês que os Pante-ras representam ameaças, então as pergunte que tipo de sentido isso poderia ter, a não ser que seja acordar às 5 da manhã para alimentar o filho de alguém e então às 3 da tarde pegar uma refeição. Nós não precisamos fazer isso. Que sentido isso faz para nós abrir uma clínica gratuita onde o único pré-requisito para receber atendimento médico de graça é que você esteja doente. E nós temos estudantes que estão dançando por aí, falando sobre estarem fazendo algo pela luta, e eu quero saber o que mais vocês podem fazer? E vocês eu digo todas pessoas de Chicago.

As pessoas estão falando sobre o Partido ter sido cooptado por gente branca. Isso é o que aquele mini-fascista, Stokely Carmichael disse. Ele não é nada mais que um boçal. Até onde eu sei, é um boçal, porque eu venho conhecendo ele faz anos, e isso é tudo que ele pode ser, se seguir por aí atacando o Black Panther Party.

Se nós estamos cooptados por gente branca, então confira as localizações dos nossos escritórios, nosso programa de café da manhã, nossa clínica de saúde gratuita será aberta provavelmente este domingo na 16ª com a Springfield. Alguém não sabe onde a 16ª com Springfield fica? Não fica em Winnetka, você entende. Não fica em Dekalb, fica na Babilônia. Fica no coração da Babilônia, irmãos e irmãs.

E aquela clínica gratuita foi colocada lá porque sabemos onde está o problema. Nós sabemos que o povo negro é o mais oprimido. E se nós não soubéssemos disso, então porque diabos andamos por aí falando sobre a luta de libertação negra ser a vanguarda para a libertação de todas as lutas? Se houver algum dia qualquer libertação na terra natal, se houver qualquer libertação na colônia, então nós seremos libertados pela liderança do Black Panther Party e a luta de libertação negra. Nós não negamos esse fato.

Nós não estamos ligados a ninguém que não seja um Pantera. Nós queremos deixar vocês pensando isso, porque nós podemos estar com Fred, eu quero dizer Everett, nós podemos estar com ele. Mas nós não podemos estar com Ron Karenga e LeRoi Jones. Nós não podemos. Nós não conseguimos ver nenhuma prática social da parte deles, irmãos. Nós sabemos que ambos possuem nomes mais longos que o meu braço. E ambos supõem ser tão inteligentes e tão espertos. E esse é o problema agora mesmo.

Nós estamos falando sobre a destruição do sistema, e eles têm medo de fazê-lo porque estão comprando constantemente propriedades dentro do sistema. E é meio difícil queimar na terça o que você comprou na segunda. Porque eles são um bando de capitalistas impenitentes. Eles nunca se arrependerão. E sabem disso melhor. Nós tentamos criar desculpas para eles – “talvez eles tenham de passar por etapas, Fred”. Não, não é assim. Porque são muito mais velhos que nós somos. Eu estou com 21. Nós somos todos jovens. Então sobre etapas, eles não chegaram através delas. Ron Karenga tem mais graus do que um termômetro. Está certo, ele tem mais graus do que um termômetro e continua a fazer o que está fazendo. E como eles enganam vocês? Porque pegam os líderes que eles querem. E elevam essas pessoas e as pintam como seus líderes, mas de fato, não são líderes de ninguém.

Nós chamamos de apologistas oprimidos. Porque depois de alguma coisa acontecer, todos podem se desculpar por isso. Olhe nos jornais. Agora eles estão desenhando imagens do Presidente acorrentado e amordaçado. Você não sabe que se as notícias da mídia, a imprensa oficial, se movessem antes disso, que poderiam ter parado o surgimento da maré fascista anos atrás. Mas endossaram, se uniram, apoiaram o que os fascistas estavam fazendo naquele momento. E agora isso está se acumulando sobre todo o povo.

E um monte de pessoas pensa agora que suas mãos estão ficando sujas. Nós as chamamos de servos ideológicos do fascismo dos Estados Unidos. E é isso o que são, porque servem ao fascismo ao não fazer nada a respeito até que a lei recaia sobre eles e então se desculparem por isso, se tornam apologéticos. Mas nós dizemos que esta é a mesma imprensa que olhará e acreditará e pensará que é genuíno; a mesma imprensa que nos falou para acreditar que éramos alguém quando de fato não éramos ninguém.

Eu penso que não há nada mais importante. Eu penso que o que Malcolm diz é importante. Agora repensem. Aqueles estudantes estavam rindo de Malcolm. Vocês sacaram? Eles estavam rindo de Malcolm. Por quê? Regis Debray diz que os revolucionários estão no futuro. Aqueles militantes e costeletas de porco e todas essas pessoas, estudantes radicais, estão no presente, e que a maioria do resto das pessoas tenta permanecer no passado. É por isso que quando surge alguém que está no futuro muitos de nós não conseguem entendê-lo. E a mesma coisa que vocês não compreendem em Huey P. Newton agora, vocês não entenderam em Malcolm quando ele estava vivo. Mas sabemos que quando Malcolm se foi, o poço quase secou. Vocês não sentem a falta da água até o poço secar, e ele quase secou.

Huey P. Newton tem leitura, e não é como muitos de nós. Muitos de nós lemos e lemos e lemos, mas não temos nenhuma prática. Nós temos um monte de conhecimento em nossas mãos, mas nunca o praticamos; e cometemos quaisquer erros e corrigimos aqueles erros para que nos tornemos capazes de fazer alguma coisa propriamente. Então nos parecemos, como dizemos, com mais graus do que um termômetro, mas nós não somos capazes de cruzar a rua e mascar chiclete ao mesmo tempo, porque temos todo aquele conhecimento, mas que nunca foi exercitado, nunca foi praticado. Nós nunca testamos como é que realmente funciona. Nós o chamamos isso de testá-lo com a realidade objetiva. Vocês devem ter qualquer tipo de pensamento em sua mente, mas têm de testar com o que está lá fora. Vocês veem o que eu quero dizer?

Eles nos falam em comprar barras de doce e jogar o doce fora e comer o papelão. Eles são as únicas pessoas no mundo, vocês compreendem, isso mesmo, que podem vender caixas de gelo para esquimós. Podem vender perucas naturais para negros que já tem cabelo natural. E vejam, essa é a vergonha. Eles conseguem vender para um homem de só uma perna provavelmente 24 bilhetes para um concurso de chutar o traseiro, que sabe que não tem nada com aquilo. Vejam, essa são as coisas que podem fazer por nós e então nos mantêm acreditando que o que estão dizendo é certo, que é genuíno, que é justificado. Nós dizemos que isso é errado, que é incorreto, que Malcolm, quando falou para os estudantes, e vocês provavelmente escutaram aquela gravação, fala a alguns judeus, algumas pessoas lisas, e contou a elas.

Vocês podem dizer, “bem, da forma como me sinto, as pessoas deveriam ser capazes de andar por aí nuas porque estupro é amor”. Isso é idealismo. Veem o que eu digo? Vocês estão lidando com metafísica. Estão lidando com subjetividade, porque não a estão testando com a realidade objetiva. E o que está realmente errado é que vocês não testam. Porque se vocês testarem, vocês vão chegar à objetividade. Porque tão logo vocês andem lá fora, um grande monte de realidade objetiva vomitará sobre os seus traseiros e o violará com o que quer que vocês tenham. Então sempre que isso acontece, é quando as pessoas chegam a um monte de ideias erradas. É por causa disso que muitos de vocês não conseguem entender e concordar com um monte de coisas que nós dizemos. Vocês nunca o tentaram.

Vocês não sabem se as pessoas apoiam o programa de café da manhã, porque vocês nunca alimentaram ninguém. Vocês não sabem nada sobre as clínicas de saúde gratuitas porque nunca perguntaram a ninguém. Vocês não sabem nada sobre o bem que uma arma faz a vocês, porque vocês nunca experimentaram uma. E nós dizemos que se nasceram e dizem que não gostam de peras e nunca as provaram, vocês têm que ser uns mentirosos. Vocês não sabem se gostam de peras, mas não podem afirmar que vocês não gostam de peras. O único meio que qualquer um consegue dizer o gosto de pera é se vocês mesmos as provarem. Esse é o único jeito. Isso é realidade objetiva. É com isso que o Black Panther Party lida. Nós não somos metafísicos, nós não somos idealistas, nós somos materialistas dialéticos. E nós lidamos com o que a realidade é, gostemos ou não.

Um monte de pessoas não consegue relacionar-se porque tudo o que eles fazem é amordaçado pela forma como as coisas deveriam ser. Nós dizemos que isso é incorreto. Vocês olham e veem como as coisas são e então vocês lidam com elas. Nós an-damos por aí falando sobre “nós vamos amar todas as pessoas negras. Nós temos um amor incondicional por todas as pessoas negras”. E vocês sabem de uma coisa? Que se Malcolm voltasse, passaria por um milhão de homens da Klan para chegar até Stokely e perseguiria aos gritos seus malditos traseiros. Você me ouviu? Eles não permitiriam nenhuma pessoa branca lá. Mas Malcolm está morto. Agora, o que aconteceu? O que tinha a aquele nome bobo, James Whitmore. Ele não fez a pelezinha?

Porque eles tinham nomes com 37 “X”, 15 “X”, mais negros do que os negros, e eram capazes de se esgueirar por causa desse potencial ignorante que estes maníacos estão tentando incitar sobre nós – “Nós vamos amar todas as pessoas negras porque todo negro é um homem preto em potencial”.