1/10

Mao: "Como Analisar as Classes nas Regiões Rurais"


I. Os Senhores de Terras Os senhores de terras são os indivíduos que dispõem de terras mas não intervêm pessoalmente no trabalho, ou apenas realizam trabalhos ínsignificantes, vivendo pois da exploração dos camponeses. Cobrar rendas pela terra é, para eles, a forma principal de exploração, podendo, no entanto, realizar além disso uma exploração por meio da usura, emprego de trabalhadores assalariados ou manutenção duma indústria ou comércio. A extorsão da renda da terra aos camponeses constitui a sua forma principal de explorar. A administração das terras públicas e a arrecadação das rendas sobre as terras das escolas(2) estão igualmente incluídas na categoria de exploração através da renda da terra. Os senhores de terras arruinados devem continuar a ser classificados como senhores de terras sempre que não estejam pessoalmente empenhados no trabalho e vivam da fraude, do roubo, à custa de pessoas da família ou amigos, e se encontrem em condições de vida melhores que os camponeses médios em geral. Os caudilhos militares, os burocratas, os déspotas locais e maus nobres são os representantes políticos da classe dos senhores de terras e são elementos particularmente ferozes dessa classe. Entre os camponeses ricos também se podem encontrar, com frequência, déspotas locais e maus nobres, mas de menor importância. Os indivíduos que trabalham para os senhores de terras na arrecadação das rendas e administração das propriedades destes, e cuja principal fonte de rendimentos depende da exploração dos camponeses pelos senhores de terras, e que, além disso, vivem em melhores condições que os camponeses médios em geral, também devem incluir-se na categoria dos senhores de terras. Os usurários são indivíduos para quem a exploração pela usura constitui a fonte principal de rendimentos, e vivem em melhores condições do que os camponeses médios em geral, razão por que devem ser incluídos na mesma categoria