"Para consolidar a base organizativa e ideológica do Partido"


É preciso consolidar a base organizativa e ideológica do Partido de acordo com a exigência do Partido e da revolução em desenvolvimento.

Isto constitui uma questão de princípios para a construção do partido da classe operária e um assunto fundamental do qual depende o futuro da revolução. A base organizativa e ideológica do partido decide a existência ou a destruição do mesmo, a vitória ou a derrota da revolução.

Metaforicamente, é como o cimento de um edifício. A fragilidade de sua base acaba por destruí-lo. O mesmo ocorre com um partido sem uma base organizativa e ideológica sólida que frente a qualquer desafio se fragmenta em mil pedaços. Similares exemplos ocorreram com muita frequência na história do Movimento Comunista Internacional.

O Partido Comunista da Indonésia, ainda que contava com 3 milhões de membros, sucumbiu da noite para o dia sem resistir a ofensiva inimiga. Houve várias razões, porém a fundamental foi a fragilidade de sua base.

Também a União Soviética conseguiu solidificar o cimento organizativo e ideológico do Partido. Depois do falecimento de Stalin apareceram os renegados e ambiciosos como Kruschev, que arrebataram o mando do partido mediante uma conspiração e difundiram o revisionismo contemporâneo dentro do partido e de outros países, ocasionando uma crise no Movimento Comunista Internacional. Naquele tempo, para lograr sua ambição de caráter revisionista, Kruschev denegriu mordazmente a figura de Stalin com qualificativos como “brutal”, como se este fosse um tirano de uma velha sociedade. Não estamos falando de uma crítica ou ataque a um indivíduo, mas sim uma manobra contrarrevolucionária encaminhada a negar o papel do líder na revolução e paralisar a função da ditadura do proletariado, poderosa arma da classe operária.

Também no referente aos países que recentemente conquistaram a independência ocorreram muitos casos de derrubada de governos progressistas, o qual se deve a inaptidão daqueles que ocupam o poder para fortalecer o seu terreno político. Para que os países emancipados da dominação colonial imperialista possam construir um poderoso Estado, soberano e independente, livre das garras do neocolonialismo imperialista, é necessário fundar um partido, destacamento de vanguarda da classe operária e outras massas trabalhadoras, e leva a cabo uma revolução radical de caráter democrático e anti-imperialista. Contudo, muitos países não construíram partidos dignos que defendem os interesses das massas trabalhadoras. Por não terem uma base política, aqueles que propõem fazer uma revolução e construir o socialismo caem na conspiração do imperialismo ianque dirigida a derruba-los, são expulsos e colocados em apuros.

As sérias vicissitudes que sofreram alguns partidos no passado e os fatos trágicos ocorridos nos países que recentemente conquistaram a independência comprovam totalmente que fundar um partido de caráter revolucionário e preparar sua sólida base organizativa e ideológica constitui um assunto essencial que decide o destino do partido e da revolução.

Não devemos considerar como alheias essas vicissitudes e tragédias, mas sim tirar lições delas e aprimorar mais o fundamento organizativo e ideológico do Partido de acordo com a exigência da revolução em desenvolvimento.

Sem dúvidas, o cimento do nosso Partido possui uma solidez invejável graças a sábia direção de nosso grande Líder. Porém, não podemos nos vangloriar, porque a base de um partido é sempre variável. O cimento de um edifício, uma vez consolidado, se mantém como tal, porém o fundamento de um partido deve seguir consolidando-se segundo a exigência do mesmo e da revolução em desenvolvimento.

Hoje para o nosso Partido resulta particularmente importante consolidar sua base organizativa e ideológica, porque fazemos a revolução em circunstâncias muito difíceis.

Nos vemos obrigados a construir o socialismo e realizar a causa da reunificação nacional em severas circunstâncias em que o imperialismo ianque, líder da reação mundial, ocupa com suas forças armadas a metade do território nacional e manobra constantemente para desatar uma nova guerra. O imperialismo ianque realiza desesperados esforços para seguir controlando a Coreia do Sul, um importante ponto militar e estratégico. Concentra todas as suas forças para atacar o nosso país por ser a pátria da ideia Juche, grande ideologia diretriz da época da independência. Com o fim de deter a impetuosa tendência a independência que se propaga por todo o mundo, faz o impossível para pressionar primeiro o nosso país, pátria da ideia Juche. Estamos na vanguarda da luta anti-imperialista e anti-ianque.

Somos os mais intransigentes não somente nesta luta, mas também na luta contra o revisionismo contemporâneo e todas as outras manifestações de oportunismo que surgiram no movimento comunista internacional. Não é fácil a luta contra o revisionismo contemporâneo. Kruschev foi eliminado na União Soviética, porém o vento do revisionismo contemporâneo não terminou. Em uma palavra, agora estamos à frente de uma luta contra o imperialismo, contra os Estados Unidos e também contra o revisionismo. Carregamos um grande peso sobre nossos ombros.

Para cumprir com êxito esta difícil tarefa que assumimos nesta rigorosa situação da revolução, devemos fortalecer por todos os meios a combatividade do Partido, estado maior da revolução. Para isto devemos fortalecer ainda mais seu fundamento organizativo e ideológico, fator decisivo para assumir a grande responsabilidade que a revolução exige. É como em um caso de um edifício de 50 ou 60 andares que necessita um cimento muito mais sólido que o de um edifício com 10 ou 15 pisos.

Até agora temos feito a revolução nas condições mais duras, porém devemos prever que no futuro os contratempos podem ser ainda maiores. Devemos consolidar o fundamento organizativo e ideológico do Partido, de maneira que possa sustentar-se ainda no pior dos casos, ou seja, quando o imperialismo ianque se coloque contra nós mobilizando todas as suas forças armadas para tragar o nosso país, ou quando o ressurgimento dos renegados e traidores no movimento comunista internacional coloquem a nossa revolução em um grande perigo. Falando francamente, careceria de razão se afirmarmos que um caso pior não pode jamais acontecer. Devemos prever tal eventualidade e fortalecer nosso Partido, de maneira que se mantenha firme frente a essa prova.

Um assunto essencial para consolidar o cimento organizativo e ideológico do Partido é fortalecer o seu sistema de ideologia única, exigência e via fundamental para o assentamento da base organizativa e ideológica do Partido. Um partido da classe operária, sendo instrumento para materializar a ideologia revolucionária de seu líder, deve considerar como principio primordial de suas atividades defender essa ideia e concentrar todas suas forças em executar as linhas e orientações apresentadas por ele.

Depois do XV Pleno do IV Período de seu Comitê Central, nosso Partido desencadeou uma luta contra as ideias burguesas, o revisionismo e o confucionismo feudal disseminados pelos elementos opostos ao Partido e a revolução que haviam se infiltrado em seu seio, logrando um grande êxito na tarefa de implementar o sistema de ideologia única no Partido e em toda a sociedade. Compete-nos considerar o estabelecimento de tal sistema como a principal de todos os trabalhos e as atividades do Partido e seguir aprofundado essa tarefa.

É primordial formar mais revolucionários convictos, realmente fiéis ao Partido e ao Líder, dispostos a dar sua vida sem vacilação para defende-los. Necessitamos revolucionários fiéis que apoiem de coração o Partido e o nosso Líder, os defendam no aspecto político e ideológico, as custas de suas vidas, e materializem incondicionalmente e cabalmente as linhas e orientações apresentadas por eles. Devemos formar a todos os quadros, militantes do Partido e outros trabalhadores como revolucionários inflexíveis e verdadeiramente fiéis que não vacilem jamais frente a quaisquer adversidade, somente confiam e seguem o Líder e o Comitê Central (CC) do Partido e marcham invariavelmente pelo caminho indicado por eles, plenamente dispostos a dar sua vida por essa causa. Fazer de todo o Partido e sociedade um continente de homens infinitamente fiéis ao Partido e ao Líder, este é o meu propósito e pensamento.

Jamais devemos admitir as ideias perniciosas que não correspondem a ideologia e as orientações do Partido, rechaçando-as categoricamente, estabelecendo uma férrea disciplina e um ambiente revolucionário para que, sob a direção única do CC do Partido, todas as organizações partidárias e seus militantes pensem e atuem como um só homem. Precisamente este é o problema a que vou me referir com maior ênfase. Devemos fazer com que toda a militância atue como um só homem frente a qualquer tempestade segundo a ordem do CC do Partido. Nosso objetivo consiste em lograr que à ordem do CC do Partido todos os seus membros interrompam sua marcha em direção ao Oeste e iniciem sua marcha em direção ao Leste, apressando os passos e sem que ninguém fique para trás.

Devemos estreitar mais a unidade do Partido. O trabalho partidário é, por assim dizer, um trabalho encaminhado a unir ideias e vontades. Não exageramos quando dizemos que o trabalho partidário se caracteriza pela completa identificação dos quadros, militantes e trabalhadores com a ideologia revolucionária do Líder e pela unidade de seus ideais e vontades entorno do Líder e do Partido. A unidade dá a vida ao partido da classe operária e é sua única arma, enquanto que para os capitalistas o imprescindível para viver é o dinheiro. Sem a unidade o partido, destacamento de vanguarda da classe operária, não pode existir nem dirigir a revolução. Por essa razão sustentamos que a unidade é a revolução, única arma do partido e nutriente que o dá vida.

Estamos falando de uma unidade completa em que toda a militância fala em uníssono e respira o mesmo ar. Dito em outras palavras, é a unidade em que se o CC do Partido diz “um”, também o repetem suas organizações de base, se diz “dois”, o imita toda a militância. É uma existência de nossa revolução lograr a unidade de pensamentos e ações de todas as suas organizações e indivíduos segundo a ordem e diretiva do Partido e do Líder, tal como as extremidades e outras partes de um organismo saudável acatam a ordem de seu cérebro.

Afim de aglutinar os militantes e as amplas massas entorno do Partido e do Líder, é necessário trabalhar bem com as massas. Nessa tarefa o importante é que os funcionários do Partido saibam ler bem o pensamento dos interlocutores e que o levem em conta. Para conhecer bem o pensamento de outros, deve-se por em seu lugar, refletir profundamente e imaginar-se o que lhes causa alegria e tristeza. O preconceito nasce de uma apreciação subjetiva que trata o próximo sem a mínima consideração.

Quando vejo as flores do jardim as comparo com os militantes que seguem nosso Partido. A imaculada lealdade dos nossos militantes à revolução possui uma beleza incomparável com as flores do jardim. No fragor da propaganda e da árdua luta revolucionária, o grande Líder formou com seu cálido amor e confiança um grande contingente de militantes dispostos a apoiar e seguir firmemente a ele e o seu Partido. Com eles não temos o que temer e podemos superar qualquer dificuldade e prova. Sempre confiarei nos militantes e me apoiarei neles para fazer a revolução.

Devemos consolidar mais a base organizativa e ideológica de nosso Partido de acordo com a exigência do mesmo e da revolução em desenvolvimento, para registrarmos um novo avanço na construção do Partido e cumprirmos de maneira exitosa a honrosa missão que assumimos frente à revolução.

Conversa com funcionários do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia

15 de agosto de 1969

Kim Jong Il

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube