"A falsificação em torno da História do Partido Comunista do Brasil (PCB)"


A falsificação da História não pode ser uma prática no Movimento Comunista e devemos repudiar isso, sempre. O atual Partido Comunista Brasileiro (PCB, renascido em 1995 após sua dissolução num Congresso Extraordinário em 1992, quando surgiu o já extinto PPS), utiliza suas redes sociais e falsifica a História do Partido Comunista do Brasil, principalmente quando se trata do nome e sigla originais desta organização fundada em 25 de março de 1922. Várias foram as postagens em que nós nos debruçamos sobre esta falsa polêmica sobre o nome e a sigla originais do Partido Comunista (Seção Brasileira da Internacional Comunista) que, já a partir de meados da década de 1920, utilizava o nome Partido Comunista do Brasil e a sigla PCB, como atestamos com a capa do seu órgão central e oficial “A Classe Operária” (edição de 23 de agosto de 1934). Falar que este Partido Comunista nascido em 1922 se chamava Partido Comunista Brasileiro é – além de falsificação histórica – enganar uma massa de jovens militantes que, infelizmente, desconhecem a História do próprio Movimento Comunista e Operário do Brasil. E não é pouca coisa essa “simples” mudança de nome. Ela representou a guinada, quando em 1961 se adotou oficialmente o revisionismo soviético (liderado por Nikita Khruschev), do antigo Partido Comunista do Brasil (PCB) à direita e ao oportunismo, criando, inclusive, as condições necessárias e históricas da reorganização partidária em fevereiro de 1962 do original Partido Comunista do Brasil (sem a sigla PCB, tomada pelos revisionistas). É fato, também, que o Partido Comunista do Brasil, reorganizado, rumou numa direção equivocada e, principalmente após a repressão ao seu Comitê Central durante os anos da Guerrilha do Araguaia e a Chacina da Lapa, adotou as teses revisionistas que transformaram o atual PCdoB num mero partido pequeno-burguês a serviço da ordem burguesa. Diante de todo esse contexto, fica cada vez mais clara a necessidade de se reorganizar – mais uma vez (e os comunistas, revolucionários e não oportunistas, reorganizam o Partido da Classe Operária quantas vezes for necessário) – o Partido Comunista do Brasil que, segundo o grande revolucionário José Duarte, não tem um único dono, e, sim, pertence à Classe Operária e ao povo trabalhador brasileiro.

Escrito pelo editor da página História do Partido Comunista do Brasil

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube