"Kim Il Sung e Ernesto Che Guevara"


Che Guevara visitou a República Popular Democrática da Coreia em dezembro de 1960. No dia 2 deste mês, o presidente Kim Il Sung concedeu uma audiência a Che Guevara e sua comitiva.

O presidente deu calorosas boas vindas à delegação cubana e contou-lhes os êxitos da construção socialista no país, sobre o sistema de assistência médica e educação gratuita da Coreia e as experiências no esforço por melhorar a vida da população como um todo. O líder coreano confirmou que o povo da Coreia Popular, apesar de sua situação difícil, daria uma ajuda ativa ao país caribenho, que o impactou bastante, e durante um banquete pomposo que fora oferecido à delegação cubana, Che, muito impressionado, lhe agradeceu repetidas vezes por suas palavras estimulantes. Então o dirigente coreano lhe disse que a Coreia estava em condições difíceis, mas que considerava como seu dever internacionalista ajudar ativamente Cuba, ainda que se tenha apertado ainda mais o cinturão em torno da Ilha, e que o autêntico comunista é internacionalista proletário e que os coreanos não consideravam Cuba como um país alheio. Conclamou a lutarem juntos, os coreanos no Oriente e os cubanos no ocidente, até a vitória sobre o imperialismo. “O autêntico comunista é um internacionalista proletário”; estas palavras se gravaram no fundo do coração de Che Guevara. Em Cuba, Che então Ministro da Indústria, dedicou-se inteiramente em levar a diante a construção econômica e melhorar a vida de seu povo, mas sentiu um certo peso ao pensar nos países reprimidos pelo imperialismo. Che disse a Fidel Castro e a outros companheiros de combate: Kim Il Sung disse-me que genuínos comunistas são verdadeiros internacionalistas proletários; considero suas palavras com minha máxima; dedicarei o resto de minha vida ao internacionalismo proletário. Em 1965, à frente dos voluntários cubanos, foi ao Congo Democrático em plena luta de libertação nacional e depois se dirigiu para a Bolívia com a finalidade de levar a cabo a luta guerrilheira na América Latina, aonde foi assassinado aos 38 anos de idade. O presidente Kim Il Sung sentiu, mais do que ninguém, um grande pesar com seu falecimento. Durante a conversa com Salvador Allende em maio de 1969, recordou de Che Guevara e disse: “O camarada Che Guevara é internacionalista”. 4 de julho de 2019 Escrito pelo Estudios sobre la Idea Juche

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube