1/10

"O imperialismo ianque e a aviação comercial brasileira"


A famigerada cadeia dos "Diários Associados" do lacaio dos americanos, sr. Assis Chateaubriand, acaba de lançar-se em mais uma rendosa campanha, visando servir aos interesses dos imperialistas ianques. Trata-se de conseguir da ditadura de Dutra o que eles chamam de "saneamento das rotas aéreas", ou seja, a eliminação das pequenas companhias nacionais de aviação comercial e a cartelização dos serviços aéreos a fim de abolir a concorrência e manter tarifas elevadas.

Esta campanha vem sendo articulada já há algum tempo e a sua inspiração partiu dos magnatas ianques que possuem interesses vultosos na aviação comercial do Brasil. Os primeiros protestos contra a "concorrência ruinosa" apareceram nos relatórios da empresa mista americano-brasileira "Panair do Brasil S/A.". Depois, a revista norte-americana “Time”, notoriamente ligada aos altos círculos de Wall Street, teceu sobre a questão um de seus comentários tendenciosos, insinuando a necessidade da campanha. E, finalmente, a revista "O Cruzeiro" aproveitou a oportunidade, a que logo foi seguida por todos os jornais do nauseabundo Hearst nativo.

Que alegam e que pretendem os "saneadores" da nossa aviação comercial? Vejamos, ponto por ponto, os seus argumentos mentirosos e as intenções reais dos promotores da campanha.