1/10

"O Povo Coreano em Luta Pela Liberdade"


Quinquênio de Libertação da Coreia: O Povo Coreano em Luta Pela Liberdade

Eleva-se em Pyongyang, sobre a montanha Morambon e uma alcantilada pedra cinzenta, um monumento em homenagem às armas soviéticas. Vê-se de longe esse grandioso obelisco, coroado pela estrela de cinco pontas do Exército Vermelho. Acham-se inscritas na sua base, nos idiomas russo e coreano, as seguintes palavras:

"Gratidão de todo o povo ao grande Stálin, ao grande organizador da vitória sobre os imperialistas japoneses, ao consolidador da amizade selada com sangue entre os povos da grande União Soviética e da Coreia. Gloria eterna ao Exército da grande URSS, libertadora do povo coreano da escravidão japonesa e garantia da liberdade e da independência da Coreia".

Há cinco anos os soldados soviéticos, combatentes do exército de libertação, penetraram no território da península coreana derrotando em seu avanço as divisões de elite do exército de Kuantung. Quinze de agosto de 1945 ficou assinalado como o grande dia de libertação da Coreia. Durante a sua multissecular história, a Coreia foi, por várias vezes, invadida por forças inimigas. Mas habitualmente invadiam a terra coreana usurpadores que atentavam contra a liberdade e a independência de nosso país. E eis que pela primeira vez na sua história o povo coreano teve oportunidade de se achar na presença de soldados libertadores, e não escravizadores.

Os coreanos foram oprimidos, durante cerca de quarenta anos, pelos imperialistas japoneses, que os privaram de liberdade e dos direitos políticos elementares. Proibia-se ao povo coreano a criação de partidos e organizações democráticas. Sob o ponto de vista econômico a Coreia fora transformada em apêndice fornecedor de matérias primas da indústria japonesa. Os japoneses exploravam avidamente todas as riquezas naturais. O povo vivia na indigência e na ignorância. Quase quatro quintos de toda a população da Coreia era constituída de analfabetos.

Os habitantes de nosso país afirmaram, em carta endereçada a Josef Vissarionóvitch Stálin, após a libertação:

"Durante quarenta anos o povo coreano não viu o sol. As trevas do inferno obscureciam os horizontes de nossa Pátria o essa noite nos parecia infinita..."

Quinze de agosto de 1945 foi o dia da libertação de nossa terra sofredora o dia da mais grandiosa felicidade de nosso povo. Essa data é solenemente comemorada, todos os anos, na Coreia. Surgiram novas fábricas e novas usinas, construíram-se novos clubes e novas escolas. Por toda parte — nas cidades e nas aldeias — o povo conhecia uma vida nova e feliz que se manifestava em sua intensa alegria.

Também neste ano a República Popular Democrática da Coreia se preparara para comemorar alegremente o seu jubileu — o quinto aniversário de sua libertação. Mas o bando traidor de Singman Ri, orientado pelos imperialistas de Wall Street, desencadeou a guerra civil. Os intervencionistas americanos afogam em sangue as cidades e as aldeias de nossa pátria. Neste ano o povo coreano comemora a sua festa nacional protegido pelas blindagens e dentro das trincheiras, em ferozes combates contra os invasores americanos que atormentam a nossa terra e assassinam mulheres, crianças e velhos. O povo coreano nunca se esquecerá dessas terríveis atrocidades. De geração a geração permanecerá a memória dos ataques vergonhosos de banditismo contra pacíficos habitantes, contra casas residenciais, hospitais, jardins de infância, escolas e plantações de arroz. Viverá eternamente a gloria imortal dos heroicos combatentes que abnegadamente lutam em nome da Pátria.

A Ajuda Desinteressada da URSS ao Povo Coreano

IMPRESSIONANTES modificações tiveram lugar na vida de nosso povo desde quando o heróico Exército Soviético trouxe nas suas gloriosas bandeiras, cobertas de gloria, a liberdade de há muito esperada pelo nosso povo. Foi o princípio do desenvolvimento democrático e do renascimento nacional da pátria. Respeitando os direitos de nosso povo e alimentando em relação ao mesmo sentimento de fraternal solidariedade, a União Soviética nos ajudou por todas as formas na difícil tarefa de liquidação das ruinosas consequências da dominação colonial japonesa sobre o desenvolvimento econômico, cultural e político da Coreia.

As forças do Exército Soviético nos ajudaram a restabelecer as empresas destruídas pelos japoneses em fuga, o transporte ferroviário, os hospitais e as escolas. Manifestando sentimento de sincera cooperação tanto em relação às grandes questões quanto as pequenas questões, o governo soviético correspondeu prontamente à todas as necessidades de nosso povo na sua difícil tarefa de criação de um jovem Estado democrático. Os médicos soviéticos, pela primeira vez na história da Coreia, ajudaram a livrar o nosso povo de seculares e terríveis epidemias — a cólera e a peste. Ajudaram a encontrar um meio de cura da terrível doença do Oriente, a encefalite, até então considerada incurável. A União Soviética construiu na Coreia mais de cem hospitais. A União Soviética foi o primeiro Estado a reconhecer a Re