"Com Cuba não se joga!: em 11 de março haverá eleições livres"



As autoridades de imigração cubanas desarmaram ontem o show midiático que os presidentes Andrés Pastrana e Jorge Quiroga, da Colômbia e da Bolívia, pretendiam impor. Ambos viajaram de Bogotá em nome da Iniciativa Democrática da Espanha e das Américas –IDEA – para receber o prêmio Oswaldo Payá Liberdade e Vida, que é dado por um grupo contrarrevolucionário liderado por sua filha Rosa María Payá. A IDEA é uma organização criada por Washington em 2015 que reúne trinta e sete ex-presidentes para "assistir" que na América Latina "a democracia não é violada por regimes totalitários", que incluem Cuba, Venezuela e Bolívia. Vicente Fox, Felipe González, José María Aznar, Felipe Calderón, Mireya Moscoso, Fernando de la Rúa, são alguns dos "democratas" que fazem parte da IDEA, dedicando-se com determinação a preparar golpes suaves e não tão suaves aos governos progressistas de a região. A Rede Latino-Americana de Juventude para a Democracia, que atribui o prêmio, é um apêndice da IDEA, entre outros jovens do direito regional apoiado por Washington, a contrarrevolucionária cubana Rosa María Payá, que também dirige outra fachada com o selo dos EUA "Cuba Decide" . Esta organização fantasma junto com o ministro servil de Colônias Almagro chama a boicotar as eleições gerais de 11 de março em Cuba e exige a realização de um plebiscito. Os ex-presidentes viajaram sabendo que sua entrada no país seria rejeitada, conscientes de que não podiam entrar no território nacional e com o objetivo claro de provocar uma provocação quando as autoridades de imigração deportaram-nos de acordo com as normas internacionais e as leis nacionais. o rendimento de pessoas estrangeiras. Imediatamente Pastrana e Quiroga usaram redes sociais para deturpar os fatos. Almagro e a OEA, na mesma linha, coordenaram o eco, alguns minutos depois apareceu uma nota em El Nuevo Herald e, com certeza, a mídia já foi instruída a fazê-lo. Eles podem dizer o que quiserem. Todos devem ser muito claros que com Cuba revolucionária não se joga. No domingo 11, os cubanos e os cubanos votarão de forma unida para os seus candidatos surgirem das pessoas, do campo, das artes e das ciências, dos esportes e do peito dos seus trabalhadores e dos seus jovens, para esta Revolução dos humildes, para os humildes e para os humildes.


Do Resumen Latinoamericano

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube