1/10

Fidel: "Trotskismo, instrumento vulgar do imperialismo e da reação"


Os imperialistas yanquis têm usado contra nós não só o bloqueio econômico, não só agressões armadas, não só nos ameaçaram mortalmente em determinadas circunstâncias, não só realizaram contra esse país todo tipo de sabotagem, espionagem, ataques piratas, mas o imperialismo norte americano tem utilizado contra nosso país armas mais sutis, como a propaganda e a calúnia. Não só isso, mas o imperialismo yanqui e seus agentes têm tratado de destruir o prestígio da revolução cubana à parte das lutas revolucionarias deste continente, e tem usado as maneiras mais vis e mais caluniosas para desacreditar a revolução. E se utilizam de todos os meios, de todos os jeitos, recorrem a todas as armas.

Desde cedo interessa aos imperialistas uma discussão específica destes problemas. A um irresponsável qualquer, a um charlatão qualquer, a um fantoche qualquer, não se importa de afirmar qualquer irresponsabilidade, qualquer calúnia. É bem sábio que só ao inimigo interessa de que forma se leva a cabo na prática essa palavra que se chama liberdade, não só com os povos revolucionários deste continente, mas de todo o mundo. Mas, o que houve? Há um ato que vou tomar como exemplo para demonstrar como trabalha o imperialismo e seus agentes, e que é um fato realmente interessante. Me refiro a campanha realizada pelo imperialismo yanqui e seus agentes em relação a partida de nosso companheiro Ernesto Guevara.