Sobre a venda de Carcará e a destruição da Petrobras


Não foram poucos os que anunciaram a tragédia que se desenhava e que agora se revela aos olhos de todos: Nesta sexta-feira (29) a Petrobras anunciou a venda da sua participação em um campo do Pré-Sal na Bacia de Santos, por míseros US$ 2,5 bilhões. O “Campo de Carcará” é uma das joias do Pré-Sal e estima-se que possa produzir, diariamente, um mínimo de 35 mil barris de óleo por poço – um piso equivalente à média dos poços mais produtivos do país atualmente!


Este é um campo ainda não produtivo do nosso Pré-Sal, ou seja, apesar da Petrobras ter investido milhões perfurando poços e descobrindo petróleo neste campo, este ainda não gerou lucro nenhum para a empresa e nem benefício algum para o país.


Segundo cálculos conservadores, onde se estima um lucro mínimo de 5 dólares por barril, o campo, que possui pelo menos 2,1 bilhões de barris de óleo “exploráveis”, renderia pelo menos 10 bilhões de dólares para seu operador (ou aproximadamente 33 bilhões de reais). Apesar disso, está sendo “vendido” para a norueguesa Statoil por míseros US$ 2,5 bilhões (ou R$ 8,5 bilhões).


Há de se dizer que a Petrobras era dona de “apenas” 66% do referido campo. Ou seja, ela teria direito à “apenas” 22 dos 33 bilhões de reais modestamente estimados. No frigir dos ovos: a nossa principal empresa estatal acaba de entregar para uma empresa estrangeira uma das maiores descobertas petrolíferas do nosso século por preço de banana.


Não é de hoje que o NovaCultura.info vêm denunciando a campanha de desmoralização e o gradativo desmonte da Petrobras. Alertamos para o fato de que o desmonte começara ainda na gestão de Bendine – indicado por Dilma para a presidência da companhia – com seu vergonhoso programa de desinvestimentos. Chamamos a atenção também para o fato de que estas tentativas iniciadas pelo governo de conciliação petista não terem aplacado a ânsia privatista das multinacionais e dos entreguistas (anti) nacionais. Por fim, dissemos claramente que um dos objetivos principais do golpe de Estado reacionário que se deu em nosso país era justamente levar a cabo e às últimas consequências a destruição da Petrobras como conhecemos hoje e a entrega irrestrita das reservas do Pré-Sal para as potências imperialistas.


Entre outros ataques desferidos contra a Petrobras, além da vergonhosa venda de Carcará, somam-se a venda de suas subsidiárias estratégicas, como a Gaspetro e a BR Distribuidora, além da malha de gasodutos do Sudeste; e o apoio à PLS 4567 de Serra, que permite a entrega total dos outros campos do Pré-Sal para empresas estrangeiras.


É preciso esclarecer que neste contexto de baixa do preço do barril, as operações mais lucrativas para a Petrobras nos últimos anos foram justamente as de armazenamento, transporte e distribuição – todas executadas por suas subsidiárias. Além do mais, na área de exploração e produção, são apenas os poços do Pré-Sal que continuam se apresentando como economicamente viáveis no longo prazo, devido ao seu baixo custo de produção.


Agora o governo reacionário de Temer, junto de Pedro Monteiro - seu indicado para a presidência da companhia concentram esforços para entregar justamente estas subsidiárias e os campos do Pré-Sal! É a morte anunciada da Petrobras!


Por Guilherme Nogueira

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube