"É preciso compreender corretamente a situação atual da Península Coreana"


Recentemente, um famoso especialista de lei internacional insistiu que “a ameaça para a paz não é a República Popular Democrática da Coreia, mas sim os Estados Unidos que a ameaça militarmente para derrubá-la”.


Esta é a análise correta da essência da situação atual da Península Coreana onde o motor da guerra nuclear é operado incontrolavelmente pelos EUA.


Agora o mundo observa com grande preocupação a situação da Península Coreana.


Os Estados Unidos executam grandes simulações militares sem precedentes, mobilizando os enormes equipamentos nucleares e todas as forças armadas para a operação especial e se desesperam para levar a calamidade nuclear para a Península Coreana.


O império ianque e os títeres sul-coreanos, insatisfeitos de ter convertido a Península Coreana no terrível campo da guerra nuclear, enganam o mundo dizendo raivosamente que a RPDC ameaça a paz.


O perturbador da paz na Península Coreana não é a RPDC, mas os EUA, que atuam freneticamente para exterminá-la, considerando como uma farpa nos olhos esta que marcha pelo caminho da independência.


Um artigo publicado no dia 8 no site da Internet Global Research do Canadá assinala que devido aos contínuos exercícios militares conjuntos e a criminosa sanção dos EUA e dos títeres sul-coreanos, a RPDC vive sempre em estado de instabilidade.

Prossegue que sua causa reside no fato de que a RPDC luta contra o imperialismo mantendo seus princípios e quer avançar pelo caminho que seu povo escolheu.

Para aplicar a política de “paciência estratégica” para isolar e esmagar a RPDC durante todo o tempo do seu mandato, o governo de Barack Obama, assustado por nosso avanço cada vez mais dinâmico, tentar buscar a saída na guerra nuclear.


Os frenéticos exercícios militares conjuntos Key Resolve e Foal Eagle 16 são simulações nucleares anti RPDC, escancaradas e sem precedentes, nas quais se mobilizam quase todos os três meios estratégicos de ataque nuclear.


Segundo o perigoso plano de guerra direcionado a “eliminar” nossa Direção Suprema e nosso regime, os belicistas empreenderam desde o dia 14 os “exercícios de ataque de segunda parte”.


Esta etapa mais elevada no marco dos exercícios militares conjuntos tem como núcleo a “operação de avanço ao interior” da zona estrategicamente importante da RPDC.


Paralelamente a estas simulações, as tropas estadunidenses estacionadas no sul da Coreia perpetraram no dia 9 na região próxima à linha de demarcação militar o ensaio de lançamento de foguetes reativos M270A1, para o objetivo de reduzir a cinzas várias regiões da RPDC.

É mil vezes justo o fato de que nossas forças armadas revolucionárias entrarem em estado de alerta para executar o golpe preventivo, frente as cada vez mais abertas manobras de guerra nuclear das forças hostis.

É um ato suicida se os EUA pensam que podem fazer também em nosso país as sinistras operações especiais executadas em outros países no passado.

O mundo presenciará claramente o trágico destino de agressores e provocadores que atuam freneticamente para atentar contra nossa máxima dignidade e derrotar nosso regime.

Da KCNA (Korean Central News Agency)

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube