1/10

"Mariátegui, a educação laica e o mito"


O balanço da “escola laica” não justifica, por outro lado, um entusiasmo excessivo para esta velha peça do repertório burguesa. George Sorel, vários anos antes da guerra, já havia denunciado a sua mediocridade. A moral laica, como Sorel com profundo espírito filosófico observava, carece dos elementos espirituais indispensáveis para a criação de caracteres heroicos e superiores. Ela é impotente e inválida para produzir valores eternos, sublimes. Não atende necessidade de absoluto que existe no fundo de toda inquietação humana. Não responde a nenhuma das grandes interrogações do espírito. Destina-se a formação de uma humanidade laboriosa, medíocre e dócil. Educa-a no culto dos mitos insignificantes que naufragam na grande maré contemporânea: a Democracia, o Progresso, a Evolução, etc. Adriano Tilgher, crítico i