Notícias

"Chongryon: A luta dos coreanos no Japão"

No começo de 1956, a construção daquilo que as autoridades japonesas e o público em geral pensavam ser uma fábrica de baterias, em uma região agora conhecida como Oeste de Tóquio, e que na época era uma área de cultivo, estava quase completa. No entanto, quando a construção da “fábrica” terminou, em 10 de abril daquele ano um cartaz anunciava que ali era a nova casa da Universidade da Coreia, que anteriormente era uma série de barracos anexadas a Primeira Escola Secundária Coreana de Tóquio. Este episódio é parte de uma muito mais longa e amplamente desconhecida luta anticolonial dos coreanos no Japão, uma luta com implicações e lições para todo o mundo. É uma luta que, assim como a luta dos

Mao: "A questão da independência e autonomia no seio da Frente Única"

A Ajuda e as Concessões Devem Ser Positivas e Não Negativas Para que a cooperação seja duradoura, a ajuda mútua e as concessões recíprocas, entre os partidos e grupos políticos da Frente Única, tornam-se necessárias, mas devem ser positivas e não negativas. Devemos consolidar e ampliar o nosso Partido e o nosso exército ao mesmo tempo que apoiamos a consolidação e expansão dos exércitos e partidos amigos; o povo exige que o governo lhe satisfaça as reivindicações políticas e económicas mas, ao mesmo tempo, oferece-lhe toda a ajuda possível em benefício da Guerra de Resistência; os operários exigem que os donos das empresas lhes melhorem a situação material mas, ao mesmo tempo, realizam ativ

Stalin: "Marx e Engels Sobre a Insurreição"

O menchevique N. Kh. acredita que a sorte sorrir aos audazes e... ousa acusar mais uma vez os bolcheviques de blanquismo (vide Símartle (n.º 7). Certamente, nisso não há nada de surpreendente. Os oportunistas alemães Bernstein e Vollmar de há muito chamam Kautsky e Bebel de blanquistas. Os oportunistas franceses Jaurès e Millerand de há muito acusam Guesde e Lafargue de blanquismo e de jacobinismo. Não obstante, todos sabem que Bernstein, Millerand, Jaurès e outros são oportunistas, que êles traem o marxismo, enquanto Kautsky, Guesde, Lafargue e outros são marxistas revolucionários. Que há de surpreendente se os oportunistas da Rússia e o seu sequaz N. Kh. imitam os oportunistas da Europa

Lenin: "O capitalismo e o parlamento"

Os fatos da democracia não devem fazer-nos perder a vista da circunstância, frequentemente negligenciada pelos democratas burgueses, que nos países capitalistas as instituições representativas inevitavelmente cedem lugar para formas específicas aonde o capital exerce sua influência sobre o poder estatal. Nós não temos um parlamento, mas não há fim para o cretinismo parlamentar entre os liberais e licença parlamentar entre os seus cúmplices burgueses. Os trabalhadores devem instruir-se com esta verdade se quiserem aprender a usar as instituições representativas para promover a conscientização política, unidade, atividade e eficiência da classe operária. Todas as forças sociais hostis ao pro

Engels: "Barbárie e Civilização"

Acompanhamos o processo de dissolução da gens nos três grandes exemplos particulares dos gregos, romanos e germanos. Para concluir, pesquisaremos as condições econômicas gerais que na fase superior da barbárie minavam já a organização gentílica da sociedade, e acabaram por fazê-la desaparecer, com a entrada em cena da civilização. Para isso, O Capital de Marx vai nos ser tão necessário quanto o livro de Morgan. Nascida a gens na fase média do estado selvagem, e desenvolvida na fase superior, ela alcançou seu apogeu, segundo nos permitem julgar os documentos de que dispomos, na fase inferior da barbárie. Por essa última, portanto, começaremos a nossa investigação. Nela, onde os peles-vermelha

Marx: "Mensagem à União Operária Nacional dos Estados Unidos"

Camaradas operários, no programa iniciador da nossa Associação afirmámos: "Não foi a sabedoria das classes dominantes, mas a resistência heroica das classes operárias de Inglaterra à sua loucura criminosa, que salvou o Ocidente da Europa de mergulhar de cabeça numa cruzada infame pela perpetuação e propagação da escravatura do outro lado do Atlântico." Chegou agora a vossa vez de impedir uma guerra cujo resultado mais claro seria o de fazer recuar, por um período indefinido, o movimento ascendente da classe operária de ambos os lados do Atlântico. Quase que não precisamos de vos dizer que existem potências europeias ansiosamente determinadas a arrastar os Estados Unidos para uma guerra c

Pela natureza e por sua cultura, os Guarani seguem resistindo no Jaraguá

Desde o dia 30 de janeiro, indígenas Guarani Mbya ocupam o terreno da construtora TENDA no Jaraguá em protesto (e em luto) pela derrubada de árvores e pelo descumprimento de diversas leis no âmbito nacional e internacional (das quais o Brasil é signatário), que regulamentam construções próximas às aldeias indígenas e de preservação da área, sendo reconhecida pela UNESCO como parte da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo. A construtora pretende construir condomínios de luxo para cerca de 800 moradores e, para isto, derrubou pelo menos 500 árvores no local no último dia 30, sendo imediatamente ocupado pelos indígenas, que declararam luto pelos irmãos e irmãs da natureza que foram

Dimitrov: "A Frente Operária Única"

Já anteriormente à guerra europeia, a unidade do proletariado nos principais países do mundo não era completa. Pela sua política reformista, pela tática de colaboração de classe e ideologia nacionalista, a Segunda Internacional Socialista e a União Internacional dos Sindicatos foram incapazes de criar uma Frente Única Operária contra o capitalismo, tanto nos diferentes países, como no terreno internacional. Contudo, a abominável traição cometida, no momento da declaração da guerra imperialista e no decurso desta guerra, pelos estados-maiores e pelos primeiros chefes destas duas organizações internacionais do proletariado, assim como pelos partidos e sindicatos aí filiados, que proclamaram

"Materialismo Mecanicista e Materialismo Dialético"

Há exatamente dois séculos, em 1745, Denis Diderot, então com 32 anos, aceitou, sob o pedido do Editor Le Breton, dirigir um empreendimento inicialmente limitado à tradução do dicionário inglês de Ephraim Chambers, aparecido em 1728, mas que, magnificado pelo gênio de Diderot, conduziria à edificação do monumento mais característico do espírito francês do século XVIII, à publicação da Enciclopédia, ou dicionário racional das ciências, das artes e dos ofícios. ...O espírito e o conteúdo da Enciclopédia definidos perfeitamente por seu título. Ela efetivamente se coloca antes de tudo sob o império da razão, esta razão que, segundo a convicção muito firme dos dirigentes da Enciclopédia, julg

"O genocídio do governo dos Estados Unidos contra o povo de Cuba"

No final da 4ª sessão da Assembleia Nacional, em 21 de dezembro, o presidente da República Miguel Díaz-Canel Bermúdez disse: “No 61º ano da Revolução, eles tentaram nos matar a todo o custo e estamos vivos”. Sem dúvida, 2019 foi um ano de grandes desafios, com uma ofensiva imperialista reforçada para provocar o colapso econômico da nação. Foi o ano em que, no mês de abril e com o mandato de reimpor em nosso hemisfério a Doutrina Monroe, o então Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, declarou sem pudor o empenho de pôr fim àquilo que a agressão mercenária de Playa Girón não conseguiu cumprir em 1961, sendo esmagada pelo povo cubano em uma vitória contundente, menos de

"Imperialismo e Neoliberalismo"

No mundo globalizado, a propaganda da burguesia rejeita e esmaga tudo o que é ligado ao nacional — e só é nacional o que é popular. As grandes mudanças de que foi palco o mundo, particularmente as que afetaram o destino da extinta União Soviética, tiveram e continuam a ter profundos e amplos efeitos na luta ideológica. O monopólio da informação e a intensidade com que efetiva a sua tarefa de mistificar a realidade histórica desempenham função essencial na imposição de conceitos cuja circulação generalizada, às vezes devida à mera repetição, busca apresentar a fase atual como definitiva, isto é, dotada de estabilidade que lhe assegura longa duração, pretendendo mesmo a eternidade. É o “fim

Eisenstein: "Do teatro ao cinema"

É interessante refazer os diferentes caminhos seguidos pelos cineastas atuais desde o início de sua atividade criativa, e que juntos formam o fundo colorido do cinema soviético. Logo após 1920, todos chegamos ao cinema soviético como algo que ainda não existia. Não encontramos uma cidade pré-fabricada; não havia praças ou ruas traçadas; nem mesmo pistas tortuosas e becos sem saída que podemos encontrar nas cinemetrópoles do nosso tempo. Chegamos, como beduínos ou garimpeiros, a um lugar cheio de possibilidades impensáveis, das quais apenas uma pequena parte foi desenvolvida até agora. Montamos nossas tendas e despejamos nossas experiências acumuladas nos campos para o trabalho. Atividades

A Segunda Guerra Fria avança ideologicamente no Brasil

Não é de hoje que os maiores conglomerados de mídia do mundo, estão em guerra contra os povos ao redor deste. Durante a Segunda Grande Guerra, que envolveu todo o mundo numa disputa fratricida entre as maiores potências imperialistas mundiais pela partilha de colônias, Hearst, um empresário norte-americano do ramo editorial, criou uma narrativa em seus jornais que uma intensa fome havia sido causada na Ucrânia pessoalmente por Stalin e os bolcheviques, e teria levado a milhares de mortes, por puro e simples sadismo. Naquela época já era possível saber que todo ano aquela região era assolada por uma intensa fome em determinado período do ano, e que isso era muito aprofundado pelo atraso econô

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube