Notícias

Stalin: "Dois campos"

O mundo dividiu-se decidida e irrevogavelmente em dois campos: o campo do imperialismo e o campo do socialismo. Lá, no campo deles, estão a América e a Inglaterra a França e o Japão com os seus capitais, os seus armamentos, os seus agentes experimentados, os seus hábeis administradores. Aqui, no nosso campo, está a Rússia Soviética com as jovens repúblicas soviéticas, com a revolução proletária que surge nos países da Europa, mas aqui não existem capitais, nem agentes experimentados, nem hábeis administradores; existem, contudo, agitadores capazes que sabem inflamar os corações dos trabalhadores com o fogo da liberdade. A luta entre esses dois campos constitui o eixo de toda a vida con

José Duarte: um grande dirigente comunista

No 1º de maio de 1988, após mais de 60 anos de sua vida dedicados ao Partido Comunista do Brasil, o ferroviário e dirigente comunista José Duarte escreve e publica um importante documento: a Carta aos comunistas e ao povo brasileiro, desmascarando o revisionismo no PCdoB liderado por João Amazonas e onde afirma que o "Partido não tem dono. Pertence à classe operária e ela saberá reconstruí-lo”. O imigrante português José Duarte, chegado ao Brasil ainda criança, se torna operário ferroviário em Bauru, São Paulo e, vivendo o calor das revoltas tenentistas de 1924, em 1º de maio do mesmo ano, adere ao Partido Comunista do Brasil (PCB). O PCB, ainda em formação, não tinha uma linha correta e p

Lenin: "A luta de partidos na China"

O povo chinês obteve êxito em derrubar o antigo sistema medieval e o governo que o apoiava. Uma republica foi estabelecida na China, e o primeiro parlamento deste grande país asiático, o qual alegrava o coração dos reacionários de todas as nações por sua imobilidade e estagnação – o primeiro parlamento chinês foi eleito, convocado e tem se reunido por várias semanas. Na câmara inferior do parlamento chinês, um pequena parcela pertence aos apoiadores de Sun Yat-sen, do Kuomintang, dos nacionalistas – para expressar a essência do partido no contexto das condições russas, ele deveria ser chamado de Partido Republicano Narodnik-radical; Partido da Democracia. Na câmara superior há uma consideráv

Kim Il Sung: "Para melhorar a formação do pessoal técnico"

Gostaria de dialogar com vocês, professores, empregados e estudantes da Universidade de Tecnologia Kim Chaek, sobre a melhor maneira de formar o pessoal técnico. Ao fundar pela primeira vez o instituto superior, logo após a libertação, tivemos que superar múltiplas dificuldades. Havia escassez de professores e era débil a base material e técnica do ensino. Não poucas pessoas se opunham à fundação dos centros universitários. Apesar de todas estas dificuldades e obstáculos logramos estabelecê-los. Graças a isso pudemos formas por nossa própria conta grande número de técnicos e quadros nacionais. A Universidade de Tecnologia Kim Chaek, por exemplo, produziu mais de 2000 graduados em dez promo

Engels: "O Papel do Trabalho na Transformação do Macaco em Homem"

O trabalho é a fonte de toda riqueza, afirmam os economistas. Assim é, com efeito, ao lado da natureza, encarregada de fornecer os materiais que ele converte em riqueza. O trabalho, porém, é muitíssimo mais do que isso. É a condição básica e fundamental de toda a vida humana. E em tal grau que, até certo ponto, podemos afirmar que o trabalho criou o próprio homem. Há muitas centenas de milhares de anos, numa época, ainda não estabelecida em definitivo, daquele período do desenvolvimento da Terra que os geólogos denominam terciário, provavelmente em fins desse período, vivia em algum lugar da zona tropical — talvez em um extenso continente hoje desaparecido nas profundezas do Oceano Indico —

"O centralismo democrático do Partido"

Os estatutos do Partido declaram: “O princípio organizativo do Partido é o centralismo democrático”. Implementar conscientemente o centralismo democrático é de grande importância para organizar a unidade do Partido, fortalecer sua liderança centralizada, aumentar sua capacidade de combate e revigorar a vida do Partido. Todos os comunistas devem compreender cabalmente o significado e o papel do centralismo democrático no Partido e esforçarem-se por elevar seu nível de consciência sobre como aplica-lo. O centralismo democrático é o princípio organizativo do Partido O centralismo democrático é o princípio organizativo do Partido. Todas as atividades do nosso Partido são levadas a cabo segundo o

Marx: "Projeto de Lei Sobre a Regovação dos Encargos Feudais"

Se alguma vez um renano pôde esquecer o que deve à "dominação estrangeira", à "opressão do tirano corso", que leia o projeto de lei sobre a revogação sem indenização dos diferentes encargos e tributos que o senhor Hansemann, no ano da graça de 1848, envia "à consideração" de seus ententistas. Suserania, juros alodiais, falecimento, direito de mão morta, mortalha, direito de proteção, direito de justiça, tributo de três coisas, tributo de criação, tributo do selo, tributo do gado, dízimo sobre as abelhas etc. — quão estranhos, quão bárbaros soam estes nomes absurdos a nossos ouvidos civilizados pela destruição franco-revolucionária do feudalismo, através do Code Napoléon! Quão incompreensível

"EUA e a disputa pela infraestrutura na América Latina"

América Latina “é uma prioridade estratégica para os Estados Unidos da América (EUA)”. A frase, de Kimberly Breier, subsecretária de Estado dos EUA, foi proferida durante a Cúpula das Américas realizada em Bogotá em meados de maio – encontro protagonizado por funcionários, empresários e membros de fundações e ONGs dos EUA e de países da América Latina.[1] De fato, apesar da campanha eleitoral de Donald Trump ter desdenhado abertamente a região, o seu governo tem feito da América Latina um alvo “privilegiado” de sua política externa: pelo menos 20 viagens foram feitas por funcionários do alto escalão dos EUA e mais de 30 reuniões foram realizadas entre autoridades latino-americanas e membros

As lutas operárias alcançam outro patamar

IV As lutas operárias alcançam outro patamar Em princípios do século XIX, a miséria tomava conta das fábricas. Operários e operárias, incluindo crianças, trabalhavam até 15, 16 horas por dia. Domingos e feriados não existiam para os trabalhadores. Mulheres recebiam bem menos do que os homens. A exploração era terrível e a miséria se estendia aos camponeses e artesãos. As cidades se enchiam de mendigos. A degeneração social e moral da maioria da população era algo crescente e exposta nos centros urbanos. Já entre a minoria, os capitalistas, o enriquecimento era cada vez maior e o imperialismo florescia às custas da exploração sobre a massa de operários. Países como Inglaterra e França, on

"A guerra da Independência e a formação dos Estados Unidos da América"

As colônias na América do Norte Os primeiros grupos de imigrantes tinham-se dirigido para a América do Norte, já em princípios do século XVI, esperando encontrar ouro, ali como na América Central. Certamente, na América do Norte havia ouro, não na costa do Atlântico, mas na Califórnia, na costa do Pacífico, onde foi descoberto muito mais tarde, nos meados do século XIX. No litoral do Atlântico, porém, não havia ouro. Os primeiros imigrantes, que não desejavam estabelecer-se e que não encontravam ouro, passavam por grandes penúrias. Muitos morreram de malária e de enfermidades tropicais e alguns tiveram que regressar à Europa. Pelos fins do século XVII, os ingleses é que tinham maior n

"Uma lei sobre a imprensa brasileira"

As Republicas Sul-americanas ainda passam – Europa! - por ter tradições de liberdade! A imprensa europeia não prestou atenção, que nós saibamos, do decreto nº. 4743 que entrou em vigor no Brasil há alguns meses. No entanto, o decreto nº. 4743 é uma obra prima no gênero. Ele é chamado também de lei de imprensa, uma lei sobre a imprensa. O Congresso, sediado no Rio de Janeiro, aprovou-o depois de prolongados debates, nos quais tomou parte importante o senador Irina Nachade (burguês liberal); o decreto foi sancionado pelo presidente da republica a 31 de outubro. Suas finalidades são: 1. Reforçar a legislação contra alguns crimes (calunias, injurias, insuficientemente punidos no Código P

Mao: "Oposição ao Culto de Livros"

I – Sem investigação sem direito a falar A menos que tu tenhas investigado um problema, tu serás privado do direito de falar sobre ele. Isto não é muito duro? Não é de modo algum. Quando tu não investigas um problema, os fatos presentes e sua história passada, e nada sabe sobre seus fundamentos, o que queres tu digas sobre isto, sem dúvida será um disparate. Falar bobagem não resolve problemas, como todos sabem, então porque é injusto privar a ti do direito de falar? Alguns camaradas sempre mantêm os olhos fechados e falam besteiras, e para um comunista é vergonhoso. Como um comunista pode manter os olhos fechados e falar besteiras? Não vai fazer! Não vai fazer! Tu deves investigar!

Mariátegui: "Princípios da Política Agrária Nacional"

Como um apêndice ou complemento ao estudo do problema de terra no Peru, que pude terminar no número anterior do “Mundial”, estimo ser oportuno expor, num esquema sumário, os alinhamentos que, de acordo com as proporções de meus estudos, podia ter dentro das condições históricas vigentes, uma política agrária inspirada no propósito de solucionar organicamente esse problema [1]. Este esquema reduz-se necessariamente a um corpo de conclusões gerais, do qual acaba excluída a consideração de qualquer aspecto particular ou adjetivo da questão, focada somente em seus grandes planos. 1.- O ponto de partida, formal e doutrinal, de uma política agrária socialista não pode ser outro que uma lei de naci

"Reflexões sobre a Praça Tiananmen e a tentativa de acabar com o socialismo chinês"

O dia 4 de Junho marca o 30º aniversário do tumulto antissocialista de 1989 na Praça Tiananmen, em Pequim, e os movimentos decisivos do governo da República Popular da China para enfrentar a contrarrevolução. O Departamento de Estado dos EUA, a mídia corporativa (e algumas pessoas irrefletidas que papagueiam suas mentiras) falarão sobre o “massacre” que nunca aconteceu, e usarão a oportunidade para dar alguma vida ao tigre de papel anticomunista que tem perdido seu poder de compelir ou convencer. Revisando os eventos de 1989 – e isso pode ser estranho, ou até mesmo bizarro – muitos esquerdistas da época ficaram confusos com os eventos daquele ano na China, e alguns até tomaram o lado do tumu

Stalin: "O Poder dos Sovietes"

Nos primeiros tempos da revolução a palavra de ordem “Todo o poder aos sovietes!” era uma novidade. Em abril o “poder dos sovietes!” contrapõe-se pela primeira vez ao poder do governo provisório. Na capital a maioria é ainda favorável ao governo provisório, mas sem Miliukov e Gutchkov. Em junho essa palavra de ordem é aprovada pela enorme maioria dos operários e dos soldados durante a demonstração. Na capital o governo provisório já está isolado. Em julho, em torno da palavra de ordem “Todo o poder aos sovietes!”, estoura a luta entre a maioria revolucionária da capital e o governo Lvov-Kerenski. O Comitê executivo Central conciliador, que se apoia no atraso da província, passa para o lado d

Lenin: "Organização das massas e a escolha do momento para a luta"

Nesta edição, publicamos um artigo do camarada Khrustalev sobre a questão de saber se agora é oportuno formar Sovietes dos Deputados Operários. Não é necessário dizer que o nome do autor é uma garantia de seu conhecimento íntimo do assunto. Todos os trabalhadores de São Petersburgo estão cientes disso. Eles também estão cientes de que neste momento em particular o proletariado na capital está profundamente interessado na questão de saber se um Soviete dos Deputados Operários deve ser formado. Nestas circunstâncias, a polêmica do camarada Khrustalev contra a decisão do Comitê de São Petersburgo do nosso Partido assume imensa importância. Não podemos concordar com o camarada Khrustalev. Ele es

"Materialismo pré-marxista e idealismo"

Na história da filosofia ocidental, houve uma luta constante entre o materialismo e o idealismo. O ponto de parte do materialismo é a matéria, que vai para a consciência. O ponto de partida do idealismo, ao contrário, é a consciência. O idealismo objetivo vai mais longe ainda ao dizer que a consciência, sob a forma de seres sobrenaturais, é capaz de uma existência independente da realidade material. O idealismo subjetivo afirma apenas aquilo que é humanamente perceptível, e nega ou dúvida da existência de Deus, embora tenha a mesma atitude para com o mundo material objetivo. O materialismo rudimentar dominou a filosofia pré-socrática com sua hipótese proto-científica. O materialismo rudime

Engels: "Guerra nas Montanhas no Passado e no Presente"

A recente possibilidade, ainda não totalmente descartada, de uma invasão da Suíça, reavivou naturalmente o interesse público, não só em relação aos recursos defensivos da República da montanha, mas também em relação à guerra das montanhas em geral. As pessoas geralmente se inclinam a considerar a Suíça como inexpugnável, e pensam em uma força invasora como a dos gladiadores romanos cujo “Ave César, morituri te salutant” [Ave César; aqueles que estão prestes a morrer te saudam] se tornou tão famoso. Somos lembrados de Sempach e Morgarten, Murten e Granson(1) e somos informados de que pode ser bastante fácil para um exército estrangeiro entrar na Suíça, mas que, como disse o tolo de Albert da

"Ao menos 13 milhões de árvores foram derrubadas ilegalmente no Xingu em dois meses"

Entre março e abril, cerca de 11 mil hectares foram desmatados sem autorização na porção mato-grossense da bacia do Xingu. Agropecuária, morosidade na regularização ambiental e sensação de impunidade são as principais causas. Quem analisa imagens de satélite do Mato Grosso enxerga grandes manchas geométricas de cor marrom que se multiplicam mês a mês. Apenas entre março e abril 13.865 hectares de novas manchas, que correspondem ao desmatamento, surgiram na área da bacia do Xingu que incide sobre o estado. O que não se pode ver via satélite é que 78% desse total, quase 11 mil hectares, foram florestas derrubadas ilegalmente. O equivalente a 13 milhões de árvores foram desmatadas sem autor

Marx: “Crítica da filosofia do direito de Hegel – Introdução”

Na Alemanha, a crítica da religião chegou, no essencial, ao fim. A crítica da religião é a premissa de toda crítica. A existência profana do erro ficou comprometida, uma vez refutada sua celestial oratio pro aris et focis [oração pelo lar e pelo ócio]. O homem que só encontrou o reflexo de si mesmo na realidade fantástica do céu, onde buscava um super-homem, já não se sentirá inclinado a encontrar somente a aparência de si próprio, o não-homem, já que aquilo que busca e deve necessariamente buscar é a sua verdadeira realidade. A religião não faz o homem, mas, ao contrário, o homem faz a religião: este é o fundamento da crítica irreligiosa. A religião é a autoconsciência e o autosentimento do

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube