Notícias

Stalin: "A Política do Poder Soviético e a Questão Nacional na Rússia"

Três anos de revolução e de guerra civil na Rússia mostraram que sem o apoio mútuo da Rússia Central e de suas regiões periféricas a vitória da revolução é impossível, e é impossível a libertação da Rússia das garras do imperialismo. A Rússia Central, este foco da revolução mundial, não pode manter-se por muito tempo sem o auxílio das regiões periféricas, ricas em matérias-primas, em combustíveis e em gêneros alimentícios. As regiões periféricas da Rússia, por sua vez, se lhes faltar o auxílio político, militar e organizativo da Rússia Central que é mais desenvolvida, estão condenadas inevitavelmente a suportar o jugo imperialista. Se é verdadeira a tese de que o Ocidente proletário mais bem

"O Nacional e o Exótico"

Frequentemente ouvem-se as vozes de alerta contra a assimilação de ideias estrangeiras, estas vozes, denunciam o perigo de difundir em um país uma ideologia inadequada a realidade nacional. E não são manifestações supersticiosas e preconceitos vulgares e difamadores, pois, em muitos casos, estas vozes partem do estrato intelectual. Poderiam acusar de uma mera tendência protecionista, dirigida a defender os produtos da inteligência nacional da concorrência estrangeira, mas, os adversários da ideologia exótica apenas rechaçam as importações contrárias ao interesse conservador. As importações úteis a esse interesse nunca lhes parecem ruins, qualquer que seja sua procedência: trata-se, portanto,

Lenin: "A Propósito das Palavras de Ordem"

Aconteceu com demasiada frequência que, quando a história faz uma viragem brusca, até os partidos avançados não podem durante um tempo mais ou menos longo habituar-se à nova situação, repetem palavras de ordem que ontem eram corretas mas hoje perderam todo o sentido, perderam o sentido tão "subitamente" como “súbita” foi a brusca viragem da história. Algo semelhante pode repetir-se, ao que parece, com a palavra de ordem da passagem de todo o poder de Estado para os Sovietes. Esta palavra de ordem foi justa durante o período irrevogavelmente passado da nossa revolução, digamos, de 27 de Fevereiro a 4 de Julho. Esta palavra de ordem deixou agora visivelmente de ser justa. Sem compreender isto,

"A construção do Metro de Moscou"

Muito se pode escrever de interessante e edificante sobre a história da construção do Metropolitano de Moscou. O principal está no facto de a nossa indústria pesada, que se desenvolvia na base da industrialização do país, ter fornecido o metro com equipamentos e materiais nacionais. O principal está no facto de a classe operária e os kolkhozianos, elevados a um novo degrau político-cultural, terem destacado os seus melhores elementos, em particular jovens do komsomol, engenheiros e técnicos, para a construção deste empreendimento excepcional. Sob a direcção do partido, tomaram em mãos esta obra complexa e venceram. Pode dizer-se, sem exagero e sem presunção, que os primeiros construtores do

Engels: "O Socialismo Utópico"

O socialismo moderno é, em primeiro lugar, por seu conteúdo, fruto do reflexo na inteligência, de um lado dos antagonismos de classe que imperam na moderna sociedade entre possuidores e despossuídos, capitalistas e operários assalariados, e, de outro lado, da anarquia que reina na produção. Por sua forma teórica, porém, o socialismo começa apresentando-se como uma continuação, mais desenvolvida e mais consequente, dos princípios proclamados pelos grandes pensadores franceses do século XVIII. Como toda nova teoria, o socialismo, embora tivesse suas raízes nos fatos materiais econômicos, teve de ligar-se, ao nascer, às Ideias existentes. Os grandes homens que, na França, iluminaram os cérebr

Camilo Torres: 'Mensagem aos camponeses'

De acordo com os censos, a população camponesa tem diminuído, porém, neles, considera-se que a população que vive nos centros urbanos, cerca de mais de mil e quinhentos habitantes é uma população urbana. Na realidade, isso não é bem assim, podemos dizer que a maioria da população colombiana é rural. Além da quantidade, o mais importante é que a maior contribuição à renda nacional é feita pelos camponeses, pois, 90% das exportações são agrícolas (café, banana, tabaco, açúcar). Sem agricultura não teríamos formas de importar maquinas nem a comida que nos falta. Desgraçadamente, a contribuição dos camponeses, como tudo neste sistema, acaba nas mãos de poucos. Os que controlam as federações (de

"Unir para derrotar as forças Hindu-fascistas usando todas as formas de luta!"

Observar a Semana de Protesto entre 25 e 31 de janeiro de 2019 contra a ofensiva contra-revolucionária “Samadhan”! Realizar com sucesso o dia Bharat Bandh em 31 de dezembro de 2019! Unir para lutar e derrotar as forças Hindu-fascistas bramânicas usando todos os meios e formas de luta! O governo Modi anunciou o lançamento do plano contrarrevolucionário “Samadhan” em uma reunião presidida pelo Ministro do Interior da União, Rajnath Singh, em 8 de maio do ano passado, na presença de ministros-chefes, altos burocratas, policiais, paramilitares e oficiais da inteligência dos estados “afetados pelos maoístas” no país. Este plano foi lançado na sequência de uma série de ações contra-ofensivas levad

"Esfaimar a Venezuela para levá-la à submissão"

Vocês são tão bondosos! Derramei uma lágrima ao pensar na generosidade americana. "Tantas iguarias deliciosas: sacos de arroz, atum em lata e biscoitos ricos em proteínas, flocos de milho, lentilha e macarrão, chegaram à fronteira da conturbada Venezuela – o suficiente para uma refeição leve para cada cinco mil pessoas", – relatavam os noticiários numa sublime referência a cinco mil pessoas alimentadas pelos peixes e pães de Cristo. É verdade que Cristo não apresou as contas bancárias e não apreendeu o ouro daqueles que ele alimentava. Mas a Venezuela do século XXI é bem mais próspera que a Galileia do século I. Nos dias de hoje, é preciso organizar um bloqueio se quiser que as pessoas f

"O fato econômico na história peruana"

Os ensaios de interpretação sobre a história da República que dormem nas prateleiras de nossas bibliotecas coincidem, em geral, em seu desdém ou desconhecimento do enredo econômico de toda a política. Acusam em nosso povo, uma obstinada inclinação, não para explicar a história peruana, mas para trata-la de uma forma romântica ou fictícia. Em cada episódio, em cada ato, as visões buscam o protagonista, não se esforçam para perceber os interesses ou as paixões que o personagem representa. Medíocres caciques, os toscos administradores da política crioula são tomados como falsificadores e animadores de uma realidade da qual foram modestos e opacos instrumentos. A preguiça mental do crioulo é fac

Dimitrov: "conteúdo e formas da Frente Única"

Qual é e qual deve ser o conteúdo principal da frente única na etapa atual? A defesa dos interesses econômicos e políticos imediatos da classe operária, sua defesa contra o fascismo, há de ser o ponto de partida e o conteúdo principal da frente única em todos os países capitalistas. Não nos devemos limitar a lançar simples apelos à luta pela ditadura do proletariado, temos que encontrar e preconizar as palavras de ordem e formas de luta que se deduzam das necessidades vitais das massas, do nível de sua capacidade de luta em cada etapa de seu desenvolvimento. Devemos indicar às massas o que hão de fazer hoje para defender-se da exploração capitalista e da barbárie fascista. Devemos conseguir

"Vale lucra com o crime"

A barragem B1, que rompeu no dia 25 de janeiro, estava desativada desde 2016. Sua área total era de aproximadamente 27 hectares e 87 metros de altura e a operação começou na década de 70, quando ainda pertencia a mineradora Ferro e Carvão. Uma época que não se aproveitava a extração do minério puro em sua totalidade. A proprietária da barragem, a Vale S.A., que sabia dos riscos do rompimento, solicitou a câmara técnica do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) o licenciamento ambiental para o reaproveitamento dos rejeitos de minério de ferro da barragem B1. O Copam autorizou a licença em dezembro de 2018. Para moradores de Córrego do Feijão, que também são trabalhadores nas área

"Coreia Popular e a luta contra o Apartheid"

A amizade entre as massas populares da Coreia e vários outros países oprimidos foi moldada e levada a cabo conjuntamente através de sua luta comum contra o Imperialismo e o objetivo da construção do socialismo. Eles também partilham uma história comum em torno da dominação colonial opressora. Assim como o povo coreano lutou contra seus opressores do Japão Imperial, por exemplo, o povo zimbabuano também lutou contra o Estado colonial da Rodésia, anteriormente a colônia britânica conhecida como Rodésia do Sul. Assim como em muitos países africanos, o Exército Popular da Coreia combateu junto de combatentes anticoloniais e fornecia treinamento para o braço armado da União Nacional Africana Zimb

"A Habitação na URSS"

“[...] o primeiro pressuposto de toda a existência humana e também, portanto, de toda a história, a saber, o pressuposto de que os homens têm de estar em condições de viver para poder “fazer história”. Mas, para viver, precisa-se, antes de tudo, de comida, bebida, moradia, vestimenta e algumas coisas mais” (Karl Marx e Friedrich Engels, A Ideologia Alemã (1846), Boitempo Editorial, São Paulo, 2007, p.32) Camaradas, antes do capitalismo a humanidade sofria constantemente por uma escassez de itens essenciais. Em parte, isto era porque suas técnicas primitivas preveniam que quantidade suficiente das coisas necessárias fossem produzidas. Modos de produção modernos científicos são capazes de prod

Um resumo histórico sobre as lutas da classe operária no Brasil (os primeiros tempos)

As lutas sociais e de classes no Brasil remontam aos primeiros momentos desde que o invasor português colocou seus pés nesse território e iniciou a exploração baseada na estrutura do latifúndio (inicialmente, com as capitanias e as sesmarias). Algumas tribos resistiram, até onde puderam, à dominação portuguesa, com violência e muitas vezes surpreendendo o inimigo, como por exemplo os tupinambás, tamoios, potiguares, aimorés, cariris... Esses focos de resistência, embora nunca foram generalizados, aconteceram além dos povos nativos e várias revoltas de negros cativos por toda a época de colonização foram registradas. Outras lutas, em diversas ocasiões, também aconteceram e uniram tanto povos

Gramsci: "A Organização Econômica e o Socialismo"

Publicamos este escrito de um jovem companheiro porque ele nos garante tratar-se de um reflexo do pensamento de importante fração do movimento socialista turinês. Renunciamos previamente a qualquer investigação de história de idéias e de história da expressão das idéias. Examinamos o escrito em si e por si, precisamente como manifestação de convicções que podem ser coletivas e podem determinar específicas tomadas de posição. Embora concordemos em geral com muitíssimas afirmações do companheiro R.F., acreditamos serem equivocadas alguns de seus juízos e algumas das conseqüências que deles decorrem. A cisão entre política e economia, entre organismo e ambiente social, defendida pela cr

Mao: "O Papel do Partido Comunista da China na Guerra Nacional"

Camaradas! Temos a nossa frente um futuro brilhante. O nosso dever é abater o imperialismo japonês e construir uma China nova; de certeza alcançaremos esse objetivo Mas entre o momento atual e esse brilhante futuro há um caminho difícil a percorrer. Lutando por uma China radiosa, o Partido Comunista da China e a totalidade do povo têm de combater o invasor japonês com método, não poderão vencer senão com uma guerra de longa duração. Nós já falámos extensamente dos diferentes problemas relativos a tal guerra; fizemos o balanço das experiências ganhas desde que começou, apreciámos a situação presente, definimos as tarefas urgentes que incumbem a Nação, explicámos a razão por que, para sustenta

"O marxismo é a revolução na filosofia"

Camaradas, A discussão sobre o livro do camarada Alexándrov não se limita ao quadro dos temas em discussão. Ele se desenvolve em todas as direções, levantando também as questões mais gerais sobre a situação da frente filosófica. A discussão se transforma, deste modo, numa espécie de conferência de toda a União sobre a questão das condições dos trabalhos científicos filosóficos. Isto, sem dúvida, é perfeitamente natural e de acordo com as leis do desenvolvimento do pensamento. A elaboração do livro de história da filosofia, o primeiro livro marxista dessa ordem, representa tarefa de imensa significação científica e política. Não é casual, pois a atenção dada a essa questão pelo Comitê Central

Stalin: "O Homem, o capital mais precioso"

Camaradas! Não se pode negar que nos últimos tempos tivemos grandes êxitos, quer no domínio da construção, quer no da gestão. A este propósito, tem-se falado demasiado dos méritos dos dirigentes, dos méritos dos líderes. Atribuem-se-lhes todas, quase todas as nossas realizações. Isto é evidentemente inexacto e incorrecto. Não se trata apenas dos líderes. Mas não é disso que eu queria falar hoje. Queria dizer algumas palavras sobre os quadros, os nossos quadros em geral e, em particular, dos quadros do nosso Exército Vermelho. Sabeis que herdámos dos velhos tempos um país tecnologicamente atrasado, um país empobrecido e devastado. Um país destruído por quatro anos de guerra imperialista, nova

Losurdo: "Oriente e Ocidente: do Cristianismo ao Marxismo"

Nascido no coração do Ocidente, com a Revolução de Outubro, o marxismo se difundiu por todo o mundo, penetrando com força em países e áreas em condições econômicas e sociais mais atrasadas e com uma cultura muito diferente. Tendo atrás de si a tradição judaico-cristã, o marxismo ocidental, como vimos, não poucas vezes evoca motivos messiânicos (a espera por um “comunismo” concebido e sentido como a resolução de todos os conflitos e contradições e, portanto, como uma espécie de fim da história). Mas o messianismo está francamente ausente numa cultura como a chinesa, em geral caracterizada, em seu desenvolvimento milenar, pela atenção reservada à realidade mundana e social. A expansão planetár

Lenin: "Nós devemos organizar a revolução?"

Aconteceu há muito, muito tempo, há mais de um ano. De acordo com o testemunho do não-desconhecido social-democrata alemão, Parvus, “diferenças fundamentais” surgiram no Partido Russo. Tornou-se a principal tarefa política do partido do proletariado combater os extremos do centralismo, a ideia de “dar ordens” aos trabalhadores de alguma obscura Genebra [no exílio, de onde operava o centro editorial do partido] e a superestimação da ideia de uma organização de agitadores, de uma organização de líderes. Tal foi a convicção profunda, firme e inabalável do Parvus menchevique, expressa em seu boletim semanal de notícias alemão, “Aus der Weltpolitik”, em 30 de novembro de 1903. Foi apontado na épo

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube